25 mar 2020

Pronunciamento de Bolsonaro foi ‘equivocado’, e brasileiros devem seguir normas da OMS, diz Maia.

Na TV, Bolsonaro pediu “volta à normalidade” em meio à pandemia e o fim do “confinamento em massa”. Afirmou também que meios de comunicação espalharam “pavor” na população.

“Desde o início desta crise venho pedindo sensatez, equilíbrio e união. O pronunciamento do presidente foi equivocado ao atacar a imprensa, os governadores e especialistas em saúde pública”, publicou Rodrigo Maia.

Em seguida, o presidente da Câmara acrescentou:

“Cabe aos brasileiros seguir as normas determinadas pela OMS e pelo Ministério da Saúde em respeito aos idosos e a todos que estão em grupo de risco.”

Para Rodrigo Maia, Bolsonaro precisa reconhecer o “esforço” de governadores, prefeitos e profissionais de saúde e adotar “medidas objetivas de apoio emergencial” para conter o avanço do coronavírus.

Bolsonaro contraria especialistas e autoridades e pede fim do ‘confinamento em massa’

Bolsonaro contraria especialistas e autoridades e pede fim do ‘confinamento em massa’. (Clique e assista ao vídeo)

País precisa de ‘liderança séria’

Também nesta terça, o presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), divulgou uma nota na qual afirmou que a fala de Bolsonaro foi “grave” e que o país precisa de uma “liderança séria”.

“Neste momento grave, o país precisa de uma liderança séria, responsável e comprometida com a vida e a saúde da sua população. Consideramos grave a posição externada pelo presidente da República hoje, em cadeia nacional, de ataque às medidas de contenção ao Covid-19”, afirmou Alcolumbre.

Enquanto Bolsonaro fazia o pronunciamento na TV, houve panelaço em cidades de alguns estados, entre os quais São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Minas Gerais, Pernambuco, Paraná, Ceará e Alagoas.

Dados sobre coronavírus

De acordo com o Ministério da Saúde, até esta terça, foram registradas 46 mortes no Brasil em razão da Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. Além disso, segundo o ministério, há 2,2 mil casos confirmados.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que há no mundo mais de 375 mil casos de coronavírus, com 16,3 mil mortes confirmadas, em 195 países.

Compartilhe esta notícia:
Reinhard Allan Santos