24 mar 2020

Coronavírus mata Manu Dibango, lenda do saxofone.

Pioneiro da world music e autor do hit internacional ‘Soul makossa’, camaronês tinha 86 anos

Amigo do nigeriano Fela Kuti, o camaronês continuou a buscar um som contemporâneo e universal em discos como “Gone clear” (1979, gravado com a grande cozinha jamaicana do reggae, Sly & Robbie) e “Electric Africa” (1985, com o pianista e gigante do jazz Herbie Hancock e o tecladista mestre do funk Bernie Worrell).

Em sua última passagem pelo Brasil, em 2016, o saxofonista se encantou com a Feira da Yabás, em Madureira, onde participou de uma roda de samba.

Saxofonista é um dos pioneiros da world music Foto: Ana Branco / Agência O Globo

Saxofonista é um dos pioneiros da world music Foto: Ana Branco / Agência O Globo

— Foi muito interessante. Lá, pela primeira vez, pude perceber a grande diversidade da música brasileira. Todos cantam juntos, há brancos e negros… e eu cantei também! — afirmou na ocasião ao GLOBO.

Compartilhe esta notícia:
Reinhard Allan Santos