9 mar 2020

Agenda da Mulher 2020 reconhece luta pela igualdade racial de Inaldete Pinheiro .

Nesta segunda-feira (9), o prefeito Geraldo Julio lançou o material, que também é um documento que registra as lutas e conquistas das mulheres

A luta pela igualdade racial e a defesa dos direitos humanos são bandeiras que desde a juventude Inaldete Pinheiro empunha. Em reconhecimento a sua luta, a enfermeira, escritora e uma das fundadoras do Movimento Negro em Pernambuco, ganhou homenagem da Prefeitura do Recife em comemoração ao Dia Internacional da Mulher e é tema da Agenda 2020, lançada pela Secretaria da Mulher. Nesta segunda-feira (9), o prefeito Geraldo Julio, em cerimônia na Prefeitura, recebeu a homenageada e diversas lideranças do movimento.

“Todos os anos, na semana de 8 de março, nós fazemos uma série de atos para lembrar o enfrentamento a desigual contra as mulheres. E o lançamento da agenda já é tradicional. Sempre marca uma homenagem a uma pessoa que tem uma luta política importante. Inaldete Pinheiro é uma dessas pessoas que tem uma história em prol da igualdade racial e dos direitos das mulheres negras. Mas a semana inteira estamos com programação, marcando a necessidade do enfrentamento a desigualdade de gênero que existe em nosso país”, reforçou o prefeito Geraldo Julio.

Também estiveram presentes na homenagem a vice governadora de Pernambuco, Luciana Santos, o vice prefeito Luciano Siqueira, a primeira dama da cidade, Cristina Mello, a secretária da Mulher do Estado, Sílvia Cordeiro, a secretária da Mulher do Recife. Cida Pedrosa, além de diversas liderenças dos movimentos sociais. Em sua quarta edição, a agenda, ilustrada pela artista plástica Dani Acioli, traz em duas páginas o registro de episódios sobre a vida e a militância da homenageada.

Integrante da União Brasileira de Escritores (UBE), com uma vasta produção literária, Inaldete Pinheiro falou sobre a emoção de receber a homenagem. “Eu estou palpitante. É muito importante, não para mim, não é minha história, é uma história coletiva que chegou em resumo de uma agenda. É homenagem da cidade do Recife, que me acolheu e acolheu tantas de nós imigrantes. É muita satisfação e sobretudo gratidãoà Prefeitura do Recife pelo gesto. Espero ser merecedora de fato, porque atrás de mim tem tantas companheiras de luta”, afirmou Inaldete, que lembrou ainda que o trabalho continua.

“Eu queria que essa luta já tivesse terminado, porque já faz tanto tempo. Muitos anos de escravização, continuamos ainda em um pedido muito cruel, principalmente para as mulheres negras, as mais pobres. A estatística está aí dizendo nosso lugar na sociedade brasileira, sempre os últimos lugares. E é por essa razão que nós continuamos na luta. Eu espero que não seja por muito tempo, mas é uma necessidade encabeçarmos essa luta e vamos continuar a fazendo valer, mas que o desejo principal é que um dia a gente descanse e vivamos com dignidade”, completou a homenageada.

Nascida na cidade de Parnamirim no Rio Grande do Norte, aos 20 anos mudou-se para o Recife, onde cursou Enfermagem e Mestrado em Serviço Social pela Universidade Federal de Pernambuco. Aqui também começou sua luta e desde então tem se dedicado ao resgate da herança afro-brasileira, erguendo uma bibliografia voltada para o ensino da História e das culturas africana e afro-brasileira, como “Cinco Cantigas para você contar”, “Baobás de Ipojuca”, “Racismo e Anti-Racismo na Literatura Infanto-Juvenil”, entre outros.

A agenda também traz informações úteis às usuárias sobre a rede de saúde e de enfrentamento à violência contra a mulher no Recife e no Estado. Para a secretária da Mulher, Cida Pedrosa, o material é uma prestação de serviço para a população feminina. “As agendas têm uma função muito importante, porque ela traz em suas páginas informações relevantes para a sociedade, sobretudo a mulher, como a rede de atendimento à mulher em situação de violência”, disse.

“Mas essa agenda tem um gosto especial para mim, porque a homenageada é Inaldete Pinheiro. Uma mulher cujo nome se confunde com a luta da negritude e de mulheres negras em nossos país. Isso não é homenagem, é direito de Inaldete de ter seu nome estampado em nossa agenda. Neste 8 de Março, quando comemoramos o Dia Internacional da Mulher, nós queremos dizer que será um ano de luta e de garantias de conquista”, concluiu a secretária.

Compartilhe esta notícia:
Reinhard Allan Santos