Nascido em Lima em 1920, Pérez de Cuéllar foi secretário-geral da ONU por dois mandatos, que se estenderam de 1982 to 1991. O período foi marcado pelo fim da Guerra Fria, a dissolução da União Soviética e maiores esforços para a cooperação internacional. Ele teve um papel crucial na libertação de reféns americanos no Líbano e em tratados de paz que encerraram conflitos no Camboja e em El Salvador.

Pérez de Cuéllar, porém, dizia que seus maiores feitos foram assegurar a independência da Namíbia e o acordo que pôs fim à guerra entre Irã e Iraque. Seus esforços diplomáticos, entretanto, não foram capazes de evitar a Guerra do Golfo, em 1990.

Em janeiro, quando ele completou cem anos, o atual secretário geral, o português António Guterres, o homenageou dizendo que a vida de Pérez de Cuéllar “não abarcou apenas um século, mas todas a história das Nações Unidas”.