11 fev 2020

AO CONTRÁRIO DO QUE DISSE, WAJNGARTEN NÃO CONSULTOU CGU SOBRE CONFLITO DE INTERESSES.

GUILHERME AMADO

Secretário de Comunicação da Presidência não fez “consulta nem tampouco questionamentos”, diz pasta

O secretário de Comunicação Social da Presidência, Fabio Wajngarten, recebe dinheiro de emissoras e agências de propaganda pela pasta que ele comanda Foto: Divulgação

O secretário de Comunicação Social da Presidência, Fabio Wajngarten, recebe dinheiro de emissoras e agências de propaganda pela pasta que ele comanda Foto: Divulgação

Ao contrário do que disse publicamente, o secretário de Comunicação Fabio Wajngarten não consultou a Controladoria-Geral da União (CGU) se haveria conflito de interesses em ele chefiar a Secom e receber verbas de empresas pagas pela propaganda do governo. A informação foi dada pela própria CGU no último dia 31, em resposta a um requerimento do então líder do PSOL, Ivan Valente.

Afirmou a CGU:

“Informamos que não houve consulta nem tampouco questionamentos formulados pelo servidor Fabio Wajngarten, chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência da República, para esclarecer dúvidas sobre conflitos de interesse em razão de sua situação ou da situação de cônjuge ou familiar em razão do cargo ocupado”.

Em 15 de janeiro, para tentar se defender, Wajngarten fez um pronunciamento no Planalto em que disse:

“Fui orientado pela SAJ (Secretaria de Assuntos Jurídicos da Presidência), pela AGU, pela CGU”.

Segundo a CGU, não foi.

(Por Eduardo Barretto)

Compartilhe esta notícia:
Reinhard Allan Santos