Levando em conta números divulgados pelo European Centre for Disease Prevention and Control (ECDC), a China somaria 13.379 casos confirmados de coronavírus com a atualização.

Desde o início da crise, a China estabeleceu restrições drásticas às viagens e férias prolongadas por ocasião do Ano Novo — a principal festa do país, quando centenas de milhões de pessoas viajam para passar o recesso com a família — para tentar conter a propagação do vírus.

CORONAVÍRUS: PEQUIM VIRA CIDADE FANTASMA, COM MAIS DE 20 MILHÕES DE HABITANTES

Irreconhecível. O surto do novo coronavírus deixou a capital chinesa com ares de cidade fantasma Foto: Carlos Garcia Rawlins / Reuters

Irreconhecível. O surto do novo coronavírus deixou a capital chinesa com ares de cidade fantasma Foto: Carlos Garcia Rawlins / Reuters

Surto do novo coronavírus pode atingir seu pico em alguns dias, informou especialista do governo chinês Foto: Nicolas Asfouri / AFP

Surto do novo coronavírus pode atingir seu pico em alguns dias, informou especialista do governo chinês Foto: Nicolas Asfouri / AFP

As faculdades e universidades do país também adiaram o retorno às salas de aula. As autoridades pediram aos trabalhadores que adiem a volta ao trabalho e às pessoas em geral para que evitem aglomerações.

Mais de 50 milhões de pessoas na província de Hubei, onde o vírus foi inicialmente detectado, estão isoladas desde a suspensão de todos os transportes pelas autoridades. O país tem usado até mesmo drones para vigiar pedestres que não estão usando máscaras ao andar nas ruas.

Fora da China, há pelo menos 138 casos espalhados por 22 países na Ásia, Europa e América do Norte. No Brasil, há 16 casos suspeitos monitorados nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Ceará, segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde neste sábado.

Entenda o coronavírus

Nomeado a partir de sua forma circular, o coronavírus (CoV) é uma ampla família de vírus à qual pertencem as cepas que causaram, por exemplo, a Sars e a Mers. Já se sabe que a pneumonia misteriosa é causada por uma nova cepa que os cientistas ainda não conheciam, identificado como 2019-nCoV.

Na última quinta-feira, a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou emergência de saúde pública internacional por conta do surto. A medida atribui várias responsabilidades aos países do mundo e havia sido adotada apenas cinco vezes desde a criação do dispositivo, em 2005. Apesar da apreensão internacional, até o momento, os casos fatais estão restritos à China.