25 jan 2020

Número de mortos por terremoto na Turquia sobe, e socorristas buscam sobreviventes.

O terremoto atingiu a Turquia na sexta-feira (24), e o epicentro do tremor foi no leste do país, na província de Elazig, a cerca de 550 km a leste da capital Ancara.

O terremoto de magnitude 6,8 sacudiu a província de Elazig e foi seguido por mais de 390 tremores secundários, 12 dos quais com magnitude acima de 4.

Dezoito pessoas morreram em Elazig e mais quatro na província vizinha de Malatya, disse a Autoridade de Emergência e Desastres da Turquia (AFAD), acrescentando que outras 1.031 ficaram feridas e foram levadas para hospitais da região. Os esforços de resgate estão em andamento em três locais diferentes em Elazig.

Neste sábado, equipes de emergência resgataram três pessoas em Elazig que estavam há pelo menos 12 horas sob os escombros. Uma mulher foi resgatada após 13 horas e as autoridades resgataram outra cerca de 15 horas após o terremoto.

Falando em Elazig, o ministro do Interior, Suleyman Soylu, disse que 39 pessoas foram retiradas dos escombros desde o terremoto, mas que outras 22 ainda estavam presas.

Já o ministro da Saúde, Fahrettin Koca, afirmou que 128 pessoas feridas ainda estavam em tratamento e que 34 estavam em terapia intensiva, mas não em condições críticas. Ele disse que outros centros médicos seriam criados, se necessário.

A emissora estatal TRT mostrou imagens de dezenas de trabalhadores sob a luz do amanhecer usando pás para desenterrar um prédio parcialmente desabado em Elazig. As janelas foram quebradas e as varandas de pelo menos quatro andares caíram no chão.

As equipes trabalharam a noite toda com as mãos, brocas e escavadeiras mecânicas para remover tijolos e gesso das ruínas da província, onde a temperatura da noite caiu para -8 graus Celsius.

A mídia estatal na Síria e no Irã informou que o terremoto foi sentido nesses países. A mídia local no Líbano disse que as cidades de Beirute e Trípoli também sentiram o terremoto.

Equipes de resgate em um prédio destruído pelo terremoto na Turquia — Foto: Stringer/Reuters

Equipes de resgate em um prédio destruído pelo terremoto na Turquia — Foto: Stringer/Reuters

Na noite de sexta-feira, o ministro do Interior, Suleyman Soylu, descreveu o terremoto como um incidente de “nível 3”, de acordo com o plano de resposta a emergências do país, o que significa que pedia uma resposta nacional, mas não exigia ajuda internacional.

Lições com outros terremotos

Soylu disse que a Turquia, que atravessa falhas sísmicas e é propensa a terremotos, aprendeu lições de desastres anteriores que o ajudaram a resolver o incidente de sexta-feira. Os drones foram implantados nas operações de busca e na comunicação entre as províncias.

Equipes de emergência e equipamentos de resgate foram enviados de outras províncias para Elazig após o terremoto, com milhares de equipes de resgate e pessoal médico no local durante os esforços de resgate. A companhia aérea Turkish Airlines iniciou voos adicionais para Elazig a partir de Ancara e Istambul para ajudar no transporte das equipes de resgate.

A Autoridade de Emergência e Desastres da Turquia alertou os moradores para não voltarem aos edifícios destruídos devido ao perigo de novos tremores secundários. Ele disse que camas, cobertores e tendas estavam sendo enviados para a área, onde algumas pessoas se abrigavam em ginásios esportivos. O grupo de ajuda turca Kizilay também enviou alimentos, aquecedores e outros materiais para a região.

“Desejo a misericórdia de Deus para com nossos irmãos que perderam a vida no terremoto e a cura urgente para os feridos”, disse o presidente Tayyip Erdogan no Twitter. Ele disse que seus ministros de Interior, Saúde e Meio Ambiente e Urbanização estavam na região para inspeções.

O ministro do Meio Ambiente e Urbanização, Murat Kurum, disse neste sábado que cinco edifícios em Elazig desabaram no terremoto e que houve várias outras estruturas fortemente danificadas. Ele pediu aos moradores que evitem entrar em suas casas enquanto especialistas inspecionam os danos aos edifícios.

Outros terremotos

A Turquia tem uma história de terremotos poderosos. Mais de 17.000 pessoas foram mortas em agosto de 1999, quando um terremoto de magnitude 7,6 atingiu a cidade ocidental de Izmit, 90 km (55 milhas) a sudeste de Istambul. Cerca de 500.000 pessoas ficaram desabrigadas.

Em 2011, um terremoto atingiu a cidade de Van e Ercis, no leste, a cerca de 100 km ao norte, matando pelo menos 523 pessoas.

Compartilhe esta notícia:
Reinhard Allan Santos