19 jan 2020

Moradores esquartejam e queimam homem preso acusado de estupro.

As imagens mostram dezenas de moradores circulando no entorno da delegacia. Havia um grande tanque de combustível bloqueando a rua e duas viaturas depredadas

Moradores esquartejam e queimam homem preso acusado de estupro

© Pixabay

POR FOLHAPRESS – BRASIL – VIOLÊNCIA

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Uma turba de moradores de Fonte Boa (AM) invadiu uma delegacia, esquartejou e incendiou o corpo de um homem acusado de estuprar e matar uma menina de dez anos.O linchamento ocorreu na madrugada deste sábado (18) e foi transmitido ao vivo pelo Facebook. Fonte Boa fica na calha do rio Solimões, a 678 km a oeste de Manaus, em linha reta.

As imagens mostram dezenas de moradores circulando no entorno da delegacia. Havia um grande tanque de combustível bloqueando a rua e duas viaturas depredadas. O prédio da delegacia aparece depredado e parcialmente incendiado.

Cercado por curiosos, o corpo de Ronald Gomes Borges, 28, está desfigurado e ainda em chamas. Ainda assim, um homem aparece golpeando os restos com um facão.

Segundo a Polícia Civil, Borges confessou ter estuprado e matado Elcleciane Nascimento Duarte em sua casa. Ele teria oferecido R$ 40 em troca de relações sexuais. Ela teria sido estuprada e morta por asfixia após ter tentado fugir. O corpo foi descoberto no quarto pela mulher do suposto assassino.

Trata-se do terceiro caso de invasão de delegacia seguida de linchamento em cidades dos Amazonas nos últimos anos. As ocorrências anteriores foram em Novo Aripuanã, em 2017, e em Borba, no ano seguinte.

PM mata 5 em Manaus Na noite de sexta-feira (17), a Polícia Militar matou cinco pessoas durante uma suposta perseguição de carro em Manaus. De acordo com a versão oficial, foram apreendidas cinco armas no veículo. Os ocupantes teriam disparado contra os policiais, que teriam reagido, sempre segundo a polícia.

A ação foi feita pela Rocam (Rondas Ostensivas Cândido Mariano), a mesma que matou 17 pessoas no bairro Crespo, em Manaus, durante operação contra uma facção criminosa. Nenhum policial foi alvejado, nenhum criminoso foi preso, e os corpos foram retirados antes da perícia.

Um inquérito da Polícia Civil inocentou os policiais, mas uma testemunha relatou à Folha de S.Paulo, sob a condição do anonimato, que houve execução. O caso está sob análise do Ministério Público Estadual do Amazonas.

Manaus começou 2020 com uma onda de violência. Na primeira semana do ano, houve 35 homicídios na cidade, quase metade de todos os assassinatos comedidos em janeiro do ano passado. Os dados oficiais foram obtidos pelo site G1.

Compartilhe esta notícia:
Reinhard Allan Santos