6 ago 2019

Opá, Uma Missão, monólogo de Lívia Falcão, estreia segunda temporada.

Espetáculo terá nove apresentações em agosto, no Luni Estúdio Cultural, em Recife

Visualização da imagem

O espetáculo “Opá, Uma Missão”, monólogo da consagrada atriz e diretora Lívia Falcão, estará em cartaz a partir do dia 9 de agosto no Luni Estúdio Cultural, em Casa Amarela. O trabalho é a culminância de um processo de investigação artística e pessoal da atriz.

Opá, Uma Missão “traz à cena a Palhaça de Livia, Zanoia, uma benzedeira antiga, descendente direta da xamã mais velha, de terras distantes, que um dia foram de seu povo perdido. Um lugar de abundâncias e milagres, de onde veio sua voz e a sua Opá, sua tenda, sua casa andante, seu ventre compartilhado. “Zanoia recebeu de suas antepassadas a missão de rir de si mesma nas ‘sete direções’: Leste, Oeste, Norte, Sul, Acima, Abaixo e Dentro. Somente cumprindo essa missão, encontrará a dádiva-diamante escondida em seu corpo”, conta Lívia Falcão.

“A obra é uma criação coletiva, da própria Lívia, de Silvia Góes e Andrea Macera, que dirige a encenação. Opá traz fragmentos de textos das peças “Caetana”, “Divinas” e “Esse Estranho Desejo”, todas encenadas pela atriz Lívia Falcão ao longo da sua carreira. “Esse brinquedo é um pouco da minha história, e também da história da humanidade, de todos nós, pela ótica de Zanoia. A partir do momento em que tomei consciência do caminho do palhaço também como uma ferramenta de autoconhecimento e libertação, percebi a potência dessa medicina do riso e que posso fazer diferença através da minha arte”, reflete Lívia.

“A Palhaça é uma atleta do coração” diz Andrea Macera, diretora do espetáculo, que desenvolveu grande parte dos seus estudos junto ao Grupo LUME – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais da Unicamp e com Sue Morrison, mestra-clown-canadense. Nos últimos 10 anos, ela voltou sua pesquisa para a elaboração artística a partir do improviso e da relação com o público. Andréa firmou-se no Brasil com sua palhaça Mafalda, como uma das mais respeitadas e atuantes no cenário da palhaçaria feminina. A união de Andréa e Lívia vem fortemente abençoada pela ancestralidade dos palhaços. “Opá, Uma Missão, é mais que um espetáculo, é uma experiência ancestral, de celebração, de encantamento e diversão”, acrescenta Lívia Falcão.

“O espetáculo tem duração de 50 minutos e será encenado de 9 a 25 de agosto, nas sextas, sábados e domingos do mês. Todas as apresentações acontecem no Luni Espaço Cultural, novo espaço em Casa Amarela voltado para receber espetáculos mais intimistas, deixando a plateia bem próxima dos artistas, comportando cerca de 100 pessoas por sessão. A classificação é livre. Os ingressos já estão a venda na Luni no valor único de R$25.

Lívia Falcão – A atriz iniciou sua carreira no teatro aos quinze anos de idade, e aos 17 anos foi premiada como Atriz Revelação, por sua atuação na peça “A Cantora Careca”, de Ionesco. E de lá para cá não parou mais de atuar.  Em 1986, recebeu o Prêmio de Melhor Interpretação no I Festival Nacional de Humor, com o monólogo “Criadas da Glória”, escrito e dirigido por João Falcão. Recebeu prêmios também por interpretações em “Caxuxa”, “Mamãe Não Pode Saber” de João Falcão e “Caetana”, de Moncho Rodriguez.

No teatro pernambucano atuou ainda em: “Mão na Luva” de Vianinha, “Deus”, de Woody Allen, “A Ver Estrelas” de João Falcão, entre outros. Em 1999, Lívia faz sua estreia como diretora teatral com a peça “Dom Chicote Mula Manca” e em 2008 dirigiu “A Árvore de Julia” do espanhol Luís Matilla. Participou também das montagens de Divinas e A Dona da História.

No Rio de Janeiro fez parte do elenco da peça “Lisbela e o Prisioneiro” de Guel Arraes e “Nada de Pânico” com direção de Enrique Diaz. No cinema fez os longas  “Lisbela e o Prisioneiro” , de Guel Arraes; “Onde Anda Você?”, de Sérgio Rezende; “O Homem que Desafiou o Diabo”, de Moacyr Góes; “O País do Desejo”, de Paulo Caldas; “Sangue Azul”, de Lírio Ferreira e “A Costureira e o Cangaceiro”, de Breno Silveira. Na TV, Lívia fez as novelas “Belíssima” e “Eterna Magia” e as séries “Amorteamo” e “Os Ovos da Raposa”, como atriz e preparadora de elenco.

Há mais de onze anos iniciou sua caminhada na bela e desafiante estrada da palhaçaria, de forma suave e constante participando de diversas oficinas com palhaços consagrados. Desde o nascimento de Zanoia (sua palhaça), Lívia compartilha seus saberes ministrando vivências e imersões de palhaçaria para pessoas de todas as idades e profissões. Desde 2003, Lívia também dirige a Duas Companhias, em Recife.

 Serviço: Opá – Uma Missão

Local: Luni Estúdio Cultural. Rua Olímpio Tavares, 46, Casa Amarela (primeira rua a esquerda depois do Sítio da Trindade)

Quando: Sextas, 9, 16, 23/08, às 20h

Sábados e domingos, 10, 11, 17, 18, 24, 25/08, às 17h

Ingresso: R$ 25,00 (preço único) – Vendas abertas na Luni

Informações e reservas: 3441.1241 / 99986.3170

Ficha técnica:  

A Duas Companhias apresenta Lívia Falcão em OPÁ – Uma Missão, um brinquedo de Andréa Macera, Lívia Falcão e Silvia Góes.

Provocação artística e direção em Palhaçaria: Andréa Macera

Dramaturgia e roteiro: Silvia Góes

Fragmentos de textos das peças:  Caetana (Moncho Rodriguez e Weydson Barros Leal), Esse Estranho Desejo (João Falcão), Divinas (Marcelo Pelizzoli, Samarone Lima e Silvia Góes)

Trilha composta com fragmentos de outras trilhas: Narciso Fernandes (Caetana) , Siba e Gui Amabis (A Árvore de Júlia) , Beto Lemos (Divinas e A Dona da História)

Operação de som: Hugo Coutinho

Desenho e operação de luz: Natalie Revoredo

Figurino e maquiagem: Fabiana Pirro e Lívia Falcão

Costureira: Expedita

Fotos da estampa do vestido: Léo Ferrario

Desenho de cenário: Nara Menezes

Execução de cenário: Mário Almeida

Ilustração e identidade visual: Morgan Leon

Trabalho de corpo e alma: Sílvia Goes

Documentário em construção:  Déa Ferraz

Colaboração afetiva, cósmica: Clara Chaves / Espaço Tempo Xammaiar

Assistência de Produção: Olga Ferrario

Idealizado e realizado por Lívia Falcão

Compartilhe esta notícia:
Reinhard Allan Santos