25 jan 2019

Meta de Bolsonaro sobre Operação Lava Jato requer aumento de efetivo da PF.

Foto: Agência Brasil

A equipe do presidente Jair Bolsonaro divulgou nessa quarta, 23, as 35 metas para os 100 dias de governo. A meta de número 16 cita o “apoio à Operação Lava Jato, imediata recomposição do efetivo policial envolvido na operação, por meio de recrutamento para missões e remoções”. Recompor efetivo da operação é extremamente importante, mas é preciso realizar essa ação fortalecendo a PF como um todo, com eficiência e urgência.

Dados oficiais de menos de um mês atrás mostram uma realidade preocupante sobre a qual o atual governo precisa estar ciente. A Polícia Federal nunca teve tanto déficit em seu efetivo. Mesmo preenchendo todas as vagas do concurso que está em andamento e mesmo chamando todos os excedentes aprovados, o déficit permaneceria em exatos 3.155 cargos vagos.

Hoje, o déficit é de 4.310 cargos, sendo que somente 675 são de delegados de polícia. Também faltam 127 peritos criminais, 2.414 agentes, 965 escrivães e 129 papiloscopistas. Para piorar, em 2019, já estão previstas as aposentadorias de outros 435 profissionais (63, só de delegados).

Enquanto isso, o concurso em andamento prevê o preenchimento de 500 vagas, o que representa somente 11,6% do déficit atual. Com o aproveitamento dos outros 655 aprovados, a situação – embora ainda muito abaixo do ideal – ao menos melhoraria com pouco mais de 26,8% dos cargos vagos atuais sendo ocupados.

Vale ressaltar que o concurso atual teve um custo de R$ 18 milhões para os cofres públicos, para selecionar apenas 500 novos policiais federais, sendo que cerca de 1.200 aprovados estarão aptos a entrar na Academia Nacional de Polícia – ANP.

O SINDPF SP preocupa-se com esta situação e defende a ampliação das vagas no concurso em andamento ou a realização de novos certames. Somente com as aposentadorias já esperadas neste ano, os cargos vagos aumentarão para mais de 3,5 mil.

Sobre a meta 16, o SINDPF SP acredita que não basta deslocar efetivo para apoio à Operação Lava Jato, utilizando policiais de outras unidades, haja vista que há outros setores funcionando com grave falta de pessoal. É preciso nomear mais policiais para manter a qualidade e eficiência da instituição mais respeitada pelos brasileiros.

Compartilhe esta notícia:
Felipe Durand