27 jun 2016

Primavera precisa mudar para melhor, diz Alexandre Lins.

unnamedxan

Alexandre Lins, ou Xandeco, como é mais conhecido, é filho de Primavera. Neto do ex-prefeito Manoel Montilla, saiu para estudar no Recife, fez duas faculdades e buscou se capacitar para atuar na política. Morou no Canadá, na Argentina, na China, mas mesmo com o mundo inteiro à sua frente, entendeu que a mudança social que quer construir é no berço de onde vem.

Crítico ferrenho das gestões que estiveram à frente do município nos últimos 20 anos e da velha política que domina toda a região, Xandeco decidiu entrar para fazer a diferença que sempre quis ver em Primavera. Conversando com a população, percebeu o clima de descrença e pessimismo com a política.

“A mudança já está acontecendo, só não enxerga quem não quer. Primavera não suporta mais administrações comprometidas apenas com alguns, para se dar bem, enquanto o resto da população é esquecida. A mensagem que vamos levar é justamente o que o povo já está pedindo: uma nova forma de fazer política.”

” Tenho atitude, o povo vai me ajudar e vamos mudar Primavera”. Filiado ao partido Rede, não fala em candidatura, por enquanto, disse  Alexandre em entrevista ao Blog.

HB -Diante de tantos problemas que estados e municípios vem enfrentando, por que o senhor quer ser prefeito da cidade de Primavera?
Toda crise é uma oportunidade. Esse momento que a gente vive hoje é um sinal claro de que esse jeito de fazer política se esgotou. Quem diz  é a própria população de Primavera que quer essa mudança?
HB– O senhor é a mudança?
Sou inda pré-candidato. E,  agora é a hora de pensar diferente, de renovar e de trabalhar pensando no futuro.. A decisão de entrar na política não é fácil, as pessoas já associam a roubalheira e a falta de compromisso e põem na mesma vala comum  todos que querem apenas se dar bem. Para mudar a gente tem que se envolver, não adianta ficar só observando e depois reclamando que as coisas não dão certo. A política é única forma de mudar vidas e transformar a realidade do município. Decidi entrar agora porque tenho essa coragem, agora depende de cada um dos primaverenses escolher mudar de verdade, fazer diferente.

HB – E o que é essa mudança?
De atitude. Tratar a Prefeitura como um lugar de todos. O Prefeito tem que ser do povo.  Mudança é estar aberto ao diálogo. Nesses últimos meses venho ouvindo muita gente, conversando com o povo e buscando o que existe de melhor no Brasil e no mundo para trazer aqui para a nossa cidade.
HB – Como?
Estive em reuniões nos Estados Unidos, em São Paulo, em Brasília, articulando investimentos e saídas para a situação deplorável em que Primavera se encontra há 20 anos.  De quatro em quatro anos as figuras de sempre aparecem prometendo de tudo e fazendo “trabalho social”. Ora, por que se tocar com a triste realidade da população só às vésperas da eleição? Isso é ser desonesto, interesseiro. Isso tem que acabar, é preciso trazer dignidade à população para tirar as pessoas da pobreza e dar fim a essa humilhação de dependerem da boa vontade dos políticos. Essa lógica é perversa, torna o povo refém dos políticos para que acreditem que são homens bons. No fundo, estão tirando o dinheiro que é do povo para devolver ao povo e ainda se beneficiam disso. O mínimo que um político pode oferecer aos eleitores é a verdade, ser transparente e tratar o povo de igual para igual. É isso que eu quero, construir essa parceria entre a Prefeitura e os cidadãos para tirar Primavera do atraso. E para realizar essas mudanças só com trabalho duro e fazendo diferente desde a eleição.

HB – O que é que o próximo Prefeito de Primavera tem que ter como prioridade?
Ainda sou pré candidato. Agora, não resta dúvida que a Saúde é a mais prioritária. Sem dúvida, a situação da saúde em Primavera é de emergência. É preciso trazer médicos para cá, ter uma gestão adequada e melhorar a estrutura e o atendimento para o usuário. Isso é tratar o cidadão com respeito. Mas claro que um prefeito não pode ter apenas uma prioridade. Geração de empregos é hoje, também, uma urgência para a população.
HB – Primavera já foi um ponto turístico. Acabou?
Vamos reverter essa situação. Vamos trabalhar para tornar Primavera um grande polo da Mata Sul. Investir em infraestrutura para trazer empresas ligadas à vocação econômica da região e devolver o turismo da Cachoeira do Uburu aos primaverenses. Investimentos em estradas, energia e capacitação que vão gerar oportunidades imediatas. Entre as nossas prioridades estão a estrada até Pedra Branca, a geração de bioenergia para trazer eletricidade de graça à população de baixa renda e a capacitação profissional de empreendedorismo e inglês para os jovens. O setor privado quer investir onde acredita, a falta de confiança é uma das grandes razões para a crise econômica que vivemos, por isso um governo honesto e confiável, com capacidade de articulação, é a chave para atrair as empresas. A nossa Cachoeira, orgulho de dez entre dez primaverenses, vai se tornar um grande centro regional de turismo ambiental, atraindo visitantes do mundo inteiro e com um volume muito maior do que a gente via antes. Esse projeto já existe, não saiu do papel por interesses políticos. Mas para transformar a realidade do município de verdade, a longo prazo, o caminho é a educação. Vamos ter a melhor educação pública de Pernambuco, para isso já estamos em parceria com as melhores instituições do Brasil que sabem exatamente o que foi feito onde deu certo.

 HB -O que te diferencia dos outros candidatos que também devem concorrer a Prefeito de Primavera?
Acho que essas pessoas que estão concorrendo agora representam esse modelo de velha política que o povo já está cansado. Se você for ver nas ruas em Primavera, a sensação do povo é que a cidade parou no tempo. Não tem oportunidade para as pessoas crescerem. Primavera não conseguiu acompanhar o crescimento do Brasil e de Pernambuco. Esse atraso é resultado do trabalho mal feito por essas administrações passadas, acostumadas com esse sistema enferrujado. Eu venho me capacitando para realizar essa mudança há muito tempo. Ainda bem que sou jovem, não tenho os vícios da velha política, mas sou formado em ciência política pela UFPE e em comunicação social pela UNICAP; fui gerente no planejamento do Governo de Goiás; membro de uma das organizações mais prestigiadas de transformação política no país, a ONG Vetor Brasil; trabalhei nas campanhas vitoriosas para governador de Pernambuco e da Paraíba e para prefeito do Recife; e trabalhei com pesquisas de opinião pública por muito tempo, onde aprendi a entender as necessidades da população.
HB – Tem história.
Tenho. Costumo dizer que felizmente estou longe de saber tudo, mas sei onde buscar, conheço quem entende de melhor em cada área Brasil afora. Acredito que os primaverenses já vão identificar uma mudança de atitude na própria eleição, nós vamos dar prioridade a ouvir as pessoas para construir em conjunto. Não é possível governar para uma população que você não ouve, não conhece as prioridades e urgências. Nosso projeto é um projeto de renovação, que coloca honestidade, competência e trabalho em primeiro lugar. Esse é o caminho da mudança.

HB – Qual é essa certeza em ser eleito?
Ela vai vir do povo. Conheço Primavera, ando pelas suas ruas, falo com o  povo e sei ouvir, o que é difícil hoje na velha política. Decidi entrar agora porque tenho essa coragem, agora depende de cada um dos primaverenses escolher mudar de verdade, fazer diferente

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa