8 maio 2016

O senador Armando Neto chega já para fortalecer a oposição..

 

imagesds
Foto: Dimas Santos

Candidato preferido para ser o governador de Pernambuco em 2014, o então senador Armando Monteiro, PTB, despontava em julho com o percentual de 43% dos votos contra 11% do seu principal adversário, Paulo Câmara do PSB. A eleição parecia definida quando veio a morte do ex-governador Eduardo Campos no trágico acidente na cidade de Santos, em Agosto de 2014, ainda era candidato à Presidência da República. O estado entrou em comoção, Paulo Câmara virou o placar e elegeu-se governador com uma diferença de 1.635.850 votos.
Na próxima quarta-feira, 11, estará no plenário do Senado para votar contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Hoje, Armando Neto, do Desenvolvimento e Comércio, é um dos melhores ministros em atuação no governo petista. Caso o vice-presidente Michel Temer assuma o poder, voltará a ser senador e a sua atuação política ficará mais voltada para Pernambuco, em especial a disputa pela prefeitura do Recife.
Ai, o PTB pernambucano e seus aliados ganham um reforço de peso no Recife, principalmente o PRB , aliado de primeira hoje nas mãos do líder da oposição na Alepe e candidato a prefeito da Capital, Silvio Costa Filho.
O senador Armando Neto terá muito mais tempo para dedicar-se ao seu partido nas eleições deste ano para prefeito nas 185 cidades de PE. É imperativo fortalecer-se! Na coligação em que disputou o governo do Estado, PTB/PDT/PT/PSC/PRB/PTdoB, perdeu o PT que deverá lançar o ex-prefeito João Paulo e o PDT que caiu nos braços do PSB de Geraldo Julio.
Mas, como o senador Armando Neto tem como foco o Governo de Pernambuco em 2018, deve começar já neste ano a fortalecer seu partido, ampliar a oposição ao governo Paulo Câmara que não faz uma boa gestão e já não tem ao seu lado a figura de Eduardo Campos para auxiliá-lo numa gestão estadual ao invés de uma secretaria de Estado onde está subordinado a um governante.
Quanto a prefeitura, o certo é que haverá um segundo turno para a definição de prefeito, pois existem muitos candidatos com potenciais de votos que possam atrapalhar a reeleição de Geraldo Julio.

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa