14 nov 2017

Temer mira mudança em ministérios e não vai nomear quem for candidato em 2018.

POR PAINEL/FSP

Corte seco

Michel Temer vai dar início à reforma ministerial já na próxima semana. Fez questão de iniciar as negociações com a base aliada recebendo o cacique do maior partido do centrão, Ciro Nogueira (PI), do PP. Nesta terça (14), o papo será com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O peemedebista deu sinais de que busca uma mudança mais ampla e avisou a aliados que não nomeará gente que vai disputar a eleição em 2018. Não quer se ver obrigado a fazer novas trocas em abril.

Ser ou não ser

O presidente quer substituir de uma vez todos os ministros que serão candidatos em 2018, mas ainda não bateu martelo. Receia fragilizar politicamente auxiliares que vão disputar cargos no ano que vem, mas não têm mandato eletivo, como Gilberto Kassab (PSD) e Marcos Pereira (PRB).

Ironia do destino

Bruno Araújo (PSDB-PE) deu de cara com Ciro Nogueira (PP-PI) no gabinete de Temer quando foi entregar seu pedido de exoneração do Ministério das Cidades. Ciro preside o PP, a sigla que mais pressionou o presidente a desalojar os ministros tucanos.

Requintes 

O presidente do PP estava na ala reservada do gabinete presidencial. Araújo, por sua vez, foi acomodado na sala principal. O Ministério das Cidades sempre foi alvo da cobiça do centrão.

Fatos…

Aliados de Bruno Araújo dizem que ele deixou o ministério em decisão acertada com seu grupo político para coordenar a campanha de Marconi Perillo (GO) à presidência do PSDB.

…e versões

 Na verdade, o agora ex-ministro consultou seus colegas da Esplanada e percebeu que, se quisesse sair apenas para não ser saído, teria que fazê-lo sozinho. Ele fez e foi criticado por deixar os tucanos remanescentes em situação constrangedora.

Na agenda

A CPI da JBS marcou para o dia 30 de novembro o depoimento, por teleconferência, do advogado Rodrigo Tacla Durán, que trabalhou para a Odebrecht e vive hoje foragido na Espanha.

É ele mesmo

A forte artilharia sobre Sandro Avelar, presidente da Fenadepol (Federação Nacional de Delegados da Polícia Federal), não conseguiu demover o novo diretor-geral da corporação, Fernando Segóvia, de nomear o colega ao posto de diretor-executivo do órgão.

Troco

likes Segóvia pediu nesta segunda-feira (13) para ser adicionado ao grupo de WhatsApp da Associação Nacional de Delegados da PF, que tem cerca de 600 integrantes, o “Fórum”. A entidade não endossou sua indicação ao posto.

Já que chegou…

Depois das felicitações pela ascensão, os colegas da ADPF aproveitaram para cobrar Segóvia a promover novo concurso.

Cada cabeça… A Justiça do Trabalho da Bahia dá uma ideia de como será a batalha nos tribunais contra e a favor da lei trabalhista. No sábado (11), dia em que a nova legislação entrou em vigor, dois juízes tiveram entendimentos antagônicos sobre a aplicação da norma.

… uma sentença Enquanto o juiz José Cairo Júnior condenou um empregado citando a nova legislação, seu colega Murilo Carvalho Sampaio decidiu, em outro caso, que as novas regras não podem ser aplicadas a processos em curso. “Configuraria ofensa direta ao devido processo legal”, escreveu.

Tenho dito

Cairo Júnior, por sua vez, anotou na sentença: “Ao contrário do que ocorre com as normas de direito material, as leis processuais produzem efeitos imediatos”. Ele usou a norma para cobrar o pagamento de honorários advocatícios do empregado por sucumbência.

Cada um na sua No MPT, os mesmos sinais. O procurador-geral, Ronaldo Fleury, diz que procuradores poderão interpretar a norma de diversas maneiras.

TIROTEIO

E finalmente o PSDB sairá do governo Temer, mas chutado! Entre o muro e a lama, o partido ficará atolado no sonho de 2018.
DO DEPUTADO FEDERAL ORLANDO SILVA (PC DO B-SP), sobre o desembarque dramático dos tucanos da administração do presidente Michel Temer.

CONTRAPONTO

Não leve para o pessoal

Surfando na crise tucana, o deputado Sílvio Costa (Avante-PE) pediu a palavra na quinta-feira (9) para cobrar explicações da bancada do PSDB sobre a destituição de Tasso Jereissati (CE) do comando da sigla.

— Cadê os deputados do PSDB? Cadê os cabeças pretas, os cabeças brancas, os carecas? Onde estão? Não é possível que ninguém do PSDB apareça efetivamente aqui para dar uma explicação ao Brasil! Eu estou curioso!

Esperidião Amin (PP-SC), que exibe há anos uma lustrosa careca, interveio:

— O deputado Sílvio Costa está fazendo bullying!

— Mas você não é PSDB! — rebateu o pernambucano.

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa