11 mar 2018

Recife Antigo lotado para celebrar os 481 anos do Recife com O Boi Voador.

Na véspera do aniversário do Recife, o prefeito Geraldo Julio compareceu à edição especial do Recife Antigo de Coração na véspera do aniversário da cidade e inaugurou o novo letreiro “Recife”
no Marco Zero

Foto: Andréa Rêgo Barros

As comemorações dos 481 anos do Recife começaram neste domingo (11) com grande festa na área central da cidade. Ao longo do dia, o Recife Antigo de Coração atraiu milhares de pessoas para aproveitar o domingo de lazer na rua. O prefeito Geraldo Julio participou da comemoração ao lado da família e fez a inauguração do novo letreiro “Recife”, no Marco Zero. A peça teve autoria de seis artistas diferentes. Para fechar a noite, o espetáculo Boi Voador transformou a Avenida Rio Branco num teatro a céu aberto e recontou um fragmento da história pernambucana, na época do governo holandês de Maurício de Nassau.

“A gente está feliz demais com a programação do aniversário da cidade, hoje tivemos o espetáculo do Boi Voador e a inauguração desse letreiro feito por artistas pernambucanos, num gesto de valorização à arte, ao talento e à cultura da nossa terra. Amanhã ainda tem o corte do bolo. Então, a gente está feliz, porque a população veio em peso para prestigiar”, comemorou o prefeito.

Dirigida por José Pimentel e Ruy Aguiar, o espetáculo Boi Voador recriou um dos fatos mais pitorescos da história do Recife. A encenação retoma o período holandês, quando a Ponte do Recife, hoje batizada de Maurício de Nassau, foi entregue. No dia da inauguração, 28 de fevereiro de 1644, o conde Nassau prometeu fazer um boi voar sobre a ponte. Para a surpresa dos muitos presentes, que até pagaram para ver de perto tamanha proeza, ele cumpriu. Na hora marcada, um boi feito de couro empalhado irrompeu os céus da colônia, suspenso por cordas e movido por roldanas, levando o público às gargalhadas. Ninguém, no entanto, divertiu-se mais que o próprio Nassau, que apurou, já na inauguração da ponte, o generoso montante de 1.800 florins de pedágio.

Em 2018, mais de 300 anos depois, a história se repetiu e o boi voou novamente. Todo iluminado, ele cruzou o céu do Recife Antigo. O público parou para ver a peripécia, fotografou, gravou e aplaudiu a passagem do Boi Voador. A peça foi dividida em seis cenas – duas no chão, caminhando pela rua, junto com o público; uma no palco, montado na frente da Associação Comercial; outra na sacada do Espaço Cultural Santander; e mais uma na esquina da Avenida Rio Branco com a Rua Dona Maria César, reproduzindo o encontro de Nassau com os pintores Frans Post e Ekaut. A cena do boi voador arrematou o espetáculo sendo sucedida por uma queima de fogos. No público, as crianças se divertiam usando as máscaras com o rosto de Maurício de Nassau, distribuídas pela Prefeitura.

A secretária de Turismo, Esporte e Lazer, Ana Paula Vilaça, explicou que este ano a Prefeitura montou dois dias de programação para os 481 anos da cidade. “Começou neste domingo aqui no Bairro do Recife, onde tivemos polo infantil, povo esportivo, polo cultural, polo cervejeiro, polo da terceira idade. Tivemos aqui no Marco Zero o espetáculo Boi Voador e, nesta segunda, teremos o tradicional corte do bolo, às 19h”, detalhou a titular da pasta.

A peça despertou tanta curiosidade que a técnica em segurança Ana Lima, 34 anos, veio do Cabo de Santo Agostinho para ver se o boi iria ou não voar. “Vi a programação e vim aqui conferir de perto”, contou.

Artista mais nova a participar da confecção do letreiro, Maria Xilo,14 anos, ficou orgulhosa ao ver a peça decorando o Marco Zero. A jovem levou quatro dias para pintar a letra F, do Recife. “Procurei resgatar ícones da cultura pernambucana que são esquecidas, como a La Ursa, que fez parte da infância de várias crianças e foliões. É uma experiência incrível poder fazer parte desse momento, ao lado de vários artistas que representam nossa cultura”, contou Maria. Também participaram do projeto os artistas Manoel Quitério, Raffa Matos, Coletivo Vacilante, Raoni e Mila Cavalcanti.

COMEMORAÇÕES – Para comemorar a chegada dos 481 anos da cidade, mais um dia de programação está preparado para esta segunda-feira (12), dia que o Recife faz 481 anos, a avenida Rio Branco será palco do desfile dos vencedores do Grupo Especial do Concurso de Agremiações do Carnaval 2018. Ao todo, irão se apresentar 11 agremiações: as vencedoras das categorias Troças Carnavalescas, Clubes de Frevo, Clubes de Boneco, Blocos de Pau e Corda, Maracatus de Baque Solto, Maracatus de Baque Virado, Caboclinhos, Tribos de Índios, Bois de Carnaval, Ursos (La Ursa) e Escolas de Samba.

Às 18h20, sobe ao palco montado na esquina da Rua Dona Maria César com a Rio Branco a Família Salustiano, banda formada pelos familiares do Mestre Salu, que irão celebrar o Recife com coco, ciranda, cavalo marinho, maracatu, frevo e todos os ritmos que fazem da capital pernambucana uma cidade especialista em festa. O Parabéns para Você será entoado às 19h, com direito a corte de bolo e uma colorida queima de fogos para celebrar a aniversariante.

O bolo – a mais saborosa das tradições do aniversário do Re cife – terá 400 quilos, sabor de chocolate e será distribuído ao público em 3.500 fatias individuais, embaladas e munidas de garfo e guardanapo. Na preparação, estão sendo usados 52 quilos de margarina, 72 quilos de açúcar, 704 ovos, 26 quilos de chocolate, 79 quilos de farinha de trigo, 2 quilos de fermento. A festa acaba num animado cortejo conduzido pelo trio de forró pé de serra Sindicato Matuto.

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa