11 out 2017

QUAL FOI A SURPRESA?.

Por Henrique Barbosa e equipe do blog

Deu na coluna do jornalista Cláudio Humberto no Diário do Poder, dessa quarta-feira 11 de outubro a seguinte nota:

“EM MINAS, LULA, DILMA E JANOT LIDERAM PESQUISAS

Levantamento do Paraná Pesquisa deixou estarrecido até o comando do PT, que sequer sonhava com cenário tão favorável para o partido em Minas Gerais: Lula lidera as intenções de voto para presidente, com 25,9%, seguido pelo pré-candidato do PSC Jair Bolsonaro (18,2%) e o tucano João Doria (11,2%). Mas a surpresa está no cenário para o Senado: Dilma tem hoje a preferência de 16,9% dos mineiros.

JANOT EM SEGUNDO

Rodrigo Janot aparece em segundo lugar em dois cenários: quando o candidato do PT para o Senado é Dilma ou Fernando Pimentel.

DADOS DA PESQUISA

A pesquisa foi realizada com 1.507 eleitores, entre 30 de setembro e 05 de outubro, em 70 municípios de Minas Gerais.”

Qual terá sido o verdadeiro motivo do “espanto” de Cláudio Humberto com o resultado dessa pesquisa? Qual terá sido o seu propósito? Ora, Cláudio é um jornalista experiente, articulado, muito bem informado e tem acesso fácil aos poderosos, portanto, não tem sentido algum a sua reação de incredulidade e estarrecimento.

O que o levantamento do Paraná Pesquisa mostra é tão somente o reflexo de uma tendência que vem sendo construída desde as eleições de 2002, quando Lula derrotou fragorosamente José Serra por estarrecedores 61,27% x 38,72%. Na ocasião, o único Estado da federação em que Lula perdeu, pasmem, foi Alagoas, estado natal do colunista Cláudio Humberto. Repetiu-se em 2006, quando Lula bateu Geraldo Alckmin por 60,83% x 39,17%, vencendo em Minas também. Em 2010 as urnas voltaram a consagrar o “espantoso e estarrecedor” PT, quando Dilma bateu José Serra com 56,05% x 43,95% dos votos, no segundo turno e ganhando em Minas.

Em 2014, dessa vez contra Aécio Neves, ex-jovem e brilhante promessa da política nacional. Mineiro, neto do saudoso Tancredo Neves, o ex-governador e atual senador (afastado temporariamente) por Minas, Dilma venceu com um resultado bem apertado, foram 43,48% x 39,75%. O detalhe dessa eleição é que Aécio perdeu em Minas. Perdeu a eleição e a cabeça, pois, não aceitando o resultado das urnas, decidiu espalhar a “merda no ventilador” e começou uma verdadeira cruzada, em parceria com o PMDB, para arrancar o PT na marra do poder e assim o fez. Porém, essa bravata teve um preço e ele foi bem salgado. Aécio caiu em desgraça ante o restante do País e piorou a sua situação lá em Minas, que já o conhecia de outros carnavais, que não foram pulados na Marquês de Sapucaí e sim nos erários estadual e federal, e que agora, descobertos, o fizeram dançar.

Os números, pelo visto, são estarrecedores apenas para os que não aceitam Lula e o PT novamente no poder. A cruzada iniciada por Aécio e levada a cabo por Moro e determinada ala do MPF, voltou as suas alças de mira para o ex-presidente e só sossegará quando o condenarem por seja lá o que for, contanto que ele fique inelegível e não participe das eleições do ano que vem. Boa parte da mídia também embarcou nessa “aventura” (ou seria “viagem”?) de Aécio e patota, orquestrada com ajuda do PMDB e hoje conduzida por Michel Temer, com 97% de desaprovação pela população, e ajudou imensamente o País a viver a sua mais profunda e desgastante crise moral/política da sua história. Aécio e “turma”, ao jogar a “merda no ventilador”, conseguiu fazer com que a mesma respingasse em todos os poderes, indistinta e fortemente. Hoje o dedo em riste da indignação e da perplexidade nacional aponta para o executivo federal, o senado, a câmara, o STF, os governos estaduais e demais poderes, mesmo “desconfiando” que nenhum deles se condenará ou permitirá condenações.

Talvez, e isso é uma opinião pessoal, a perplexidade estarrecedora da pesquisa ora publicada pelo Paraná Pesquisa, seja pelo fato dos “contratantes” da mesma descobrirem que quanto mais eles “baterem e achincalharem” o ex-presidente Lula, mais o “sapo barbudo” (como diria o saudoso Leonel Brizola) cresce e amealha a simpatia da população, principalmente os de baixa renda. Afinal, Lula se assemelha a massa de pão: quanto mais se bate, mais cresce.

Fica a dica: Comecem a chamar Lula de honesto. Digam que ele é vítima de um verdadeiro complô urdido pelas elites. Digam que ele está sendo perseguido por interesses escusos de “ladrões” que querem tomar o poder apenas para roubar, quem sabe dessa forma, Lula comece a cair nas pesquisas e a legião de acusadores “honestos e ilibados”, após se declararem “desonestos” e “oportunistas”, comece a reverter esse quadro. Vai ver, e aí teremos que ficar estarrecidos e preocupados, o povo gosta mesmo é de político ladrão no poder! Essa tal de “honestidade” é ficção criada para fazer o povo de besta! Se não for isso, então comecem defenestrando Temer do comando do “quadrilhão do planalto”, aproveitem a denúncia contra ele e comecem a afundar Lula nas pesquisas!

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa