11 out 2017

Oncologista da Multihemo fala sobre câncer de mama nos homens.

Em cada cem casos da doença, um é no sexo masculino

O câncer de mama é um assunto bastante discutido, principalmente durante o Outubro Rosa. Mas o que nem todo mundo sabe é que a doença não acomete apenas as mulheres, mas também aos homens. Segundo o American Cancer Society, a patologia da mama é cem vezes menos comum entre homens do que no sexo feminino. Embora seja um caso mais raro, é importante a conscientização da população masculina.

Os sintomas mais comuns são vermelhidão ou descamação da pele da mama ou mamilo, pele enrugada ou ondulada, alteração no volume da mama, saída de sangue ou secreção pelo mamilo, inchaço das ínguas na axila e protuberância ou inchaço, muitas vezes, indolor.

“O tratamento é o mesmo que o da mulher. Mastectomia com abordagem axilar, com ressecção ou não, quimioterapia e hormonioterapia, dependendo da indicação. O homem tem menos tecido mamário do que as mulheres, por isso tem menos chance de desenvolver o câncer. Mas como infiltra mais rápido na pele, o prognóstico geralmente é pior do que nas mulheres”, explica Bruno Pacheco, oncologista da Multihemo.

A população masculina mais propícia a desenvolver o câncer de mama são os homens que tem histórico familiar da doença. Quanto maior o número de parentes de primeiro grau, maior é o risco. Além disso, a incidência aumenta quando o homem tem uma idade mais avançada, por volta dos 60 anos. As doenças que causam hiperestrogenismo, aumento dos níveis de hormônios feminino, e obesidade são outros fatores que ajudam no desenvolvimento do câncer de mama masculino.

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa