1 dez 2016

Indecência de deputados fichados.

untitlednilton
blogdoniltoncesar

O princípio “nemo tenetur se detegere” (o direito de não produzir prova contra si mesmo) está consagrado pela Constituição, assim como pela legislação internacional, como um direito mínimo do acusado, sendo de fundamental importância seu cumprimento, pois este é um direito fundamental do cidadão.

Agora vamos ler a função de um deputado federal e um senador:

Pois é, o que aconteceu na calada da noite da última quarta-feira nada tem a ver com a representação do povo brasileiro pelos senhores com mandato eleitoral dado pelo público através do voto democrático.

O que eles fizeram foi uma covardia com os brasileiros quando 313 deputados modificaram nove das dez  medidas contra o Pacote Anticorrupção que saiu intacto da Câmara. 132 votaram a favor e 5 se abstiveram do voto.

Medo de perder o voto dos eleitores nas novas eleições em 2018 para renovação ou não dos mandatos? Claro que não. Pelo menos de 24 a 28 deputados modificaram o pacote Anticorrupção com medo de serem presos pela Operação Lava Jato, pois respondem a vários processos judiciais. Estão no banco dos réus e não devem ter os mandatos renovados. O lugar deles é a prisão.

Uma vergonha inominável para um homem que se diz público.

Que ninguém deve ter privilégios diante de outros, é muito razoável quando o País não tem tantos corruptos, fica difícil entender os deputados colocarem amarras no Judiciário e no Ministério Público que através dos seus promotores  fazem um belíssimo trabalho de limpeza pública no Brasil.

Agora, resta esperar que o senado faça mais mudanças para desfigurar completamente o Pacote e torcer para que o presidente Temer vete toda essa bagunça antes que o povo nas ruas o tire do Poder.

É isso!

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa