6 dez 2017

‘Estado’ conquista Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo 2017.

Com autorização de lideranças indígenas da região, a equipe percorreu centenas de quilômetros de rios e trilhas pelo Javari Foto: Werther Santana/Estadão

‘Cerco aos Isolados’, sobre a situação dos povos indígenas no Vale do Javari, venceu a categoria de reportagem online

 O Estado de S.Paulo

BRASÍLIA – A reportagem especial Cerco aos Isolados, publicada pelo Estado em 29 de abril, conquistou o Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo 2017, com o 1º lugar na categoria de reportagem online. A distinção é concedida desde 1984 pelo Movimento de Justiça e Direitos Humanos, pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional Rio Grande do Sul, e pela Associação de Fotógrafos e Cinegrafistas do Brasil (Arfoc).

O prêmio, que está em sua 34ª edição, tem o objetivo de estimular o trabalho dos profissionais do jornalismo na denúncia das violações e na vigilância ao respeito dos direitos humanos. Em outubro, “Cerco aos Isolados” recebeu menção honrosa do 39º Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos.

‘Estadão’ conquista as 2 principais categorias do Prêmio Petrobrás de Jornalismo

A reportagem, de autoria de André Borges (textos e edição) e Werther Santana (fotos e vídeos), denunciou a situação de abandono e risco de morte dos povos indígenas do Vale do Javari, região da Amazônia com tamanho equivalente ao de Portugal onde está concentrado o maior número de povos isolados em todo o mundo.

Colunista do ‘Estado’ conquista o prêmio de melhor jornalista no WME

A apuração se baseou em três meses de levantamento de dados, com acesso a informações de órgãos federais, organizações socioambientais, antropólogos e especialistas em conflitos indígenas. Paralelamente, foram realizadas negociações diretas com lideranças da região do Vale do Javari para que a reportagem obtivesse autorização para percorrer toda a área. O objetivo era revelar a vulnerabilidade desses povos isolados sem contatá-los, em respeito aos seus modos de vida.

Com autorização de lideranças indígenas da região, a equipe percorreu centenas de quilômetros de rios e trilhas pelo Javari. O trabalho registrou a invasão de madeireiros, garimpeiros, caçadores e pescadores em terras protegidas por lei.

O Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo 2017 reconheceu, em 2º lugar na categoria online, a reportagem 100 anos de servidão, de Thais Siqueira Lazzeri (Repórter Brasil); e em 3º lugar, a matéria Os santos perseguidos, de Gabriele Roza (Agência Pública). Recebeu ainda menção honrosa o trabalho Monitor da Violência, de Thiago Reis Corte (G1).

A cerimônia de entrega dos prêmios ocorrerá na próxima terça-feira, 12, no auditório da OAB em Porto Alegre.

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa