16 maio 2018

Empacado, Alckmin é estimulado a fazer vídeos e aumentar entrevistas.

Foto: Pedro Ladeira/Folhapress, PODERPainel – FSP
Levanta e anda Com o tucano sob pressão e empacado nas pesquisas, auxiliares de Geraldo Alckmin (PSDB-SP) tentam convencê-lo a ampliar sua presença nas redes sociais e na imprensa. A ideia do time do presidenciável é lançar novos produtos para canais de internet, como o YouTube, e aumentar o número de entrevistas a rádios. Uma das propostas é gravar pelo país conversas do ex-governador com eleitores em ambientes comuns, como padarias. Os primeiros testes devem começar nesta semana.

Me dê motivos Nas bancadas do PSDB, foi pesado o impacto da pesquisa recente do instituto MDA que registrou o crescimento da rejeição ao presidenciável tucano. A avaliação é a de que Alckmin está sendo visto como o nome do establishment numa eleição marcada pela repulsa à política.

Palpite Aécio Neves (PSDB-MG), que restringiu sua atuação aos bastidores, tem repetido dentro e fora do tucanato que, mesmo com o cenário adverso, Alckmin tem chances. Como? Ele seria beneficiado pelo pragmatismo do eleitor.

Menor dos males Para o mineiro, o voto da exclusão, aquele que leva à escolha de um nome pela rejeição maior à outra opção, muito tradicional nas disputas de segundo turno, desta vez se dará já na primeira etapa da corrida.

Ímã A articulação do DEM para atrair o PR passa pelo temor de que a sigla feche com Jair Bolsonaro (PSL). Nesse cenário, dizem dirigentes democratas, seriam maiores as chances de o deputado chegar ao segundo turno.

Moeda de troca Em encontro nesta terça (15), Carlos Siqueira, do PSB, e Gleisi Hoffmann, presidente do PT, identificaram a possibilidade de fechar alianças em dez estados. Um acerto em PE, porém, continua vinculado à questão nacional: o PT só abre mão de candidatura no estado se o PSB apoiar Lula.

Amigo oculto Os petistas fecham nesta quarta (16) o calendário de lançamento da candidatura do ex-presidente, que está preso. Uma ideia é mesclar eventos grandes com reuniões pequenas.

Formiguinha Dirigentes do PT defendem o resgate de modelo antigo, com parlamentares indo a pequenas cidades, só com banquinho e megafone.

Segredo de polichinelo A Comissão Nacional da Verdade analisou apenas 6% de toda a documentação entregue pelo governo americanoentre 2014 e 2015 com informações relevantes sobre abusos na ditadura militar.

Diante dos olhos Duas das três remessas chegaram depois que a Comissão finalizou seu relatório, em dezembro de 2014. As levas que ficaram de fora tinham 651 dos 694 documentos enviados pelos EUA.

Minha circunstância Segundo José Carlos Dias, ex-ministro da Justiça, a comissão não pôde analisar o restante por não ter mais “força jurídica” para a tarefa. Agora, o governo brasileiro pediu novamente aos EUA toda a papelada relacionada à prática de tortura e morte durante a ditadura

Diz que fico Auxiliares de Michel Temer apostam que o general Joaquim Silva e Luna permanecerá à frente do Ministério da Defesa até o fim do governo, ainda que na condição de interino. O presidente já teria dado o sinal aos militares.

Vou ou racho Após reunião com a diretoria, Miguel Torres, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, definiu que, se o deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP) não lhe passar a presidência da Força Sindical, sua entidade vai se desfiliar da central.

Pago para ver Paulo terá que se licenciar do comando da Força Sindical para disputar a eleição e já indicou o secretário-geral, João Carlos Gonçalves, para o posto.

Direita, volver Aliados de João Doria (PSDB) avaliam que o governador Márcio França (PSB), adversário do tucano na sucessão paulista, tentou fazer um aceno ao eleitor conservador com a homenagem à PM que matou um ladrão no sábado (12).

TIROTEIO

Temer celebra sozinho o retrocesso de 20 anos em 2. Perto da eleição ninguém quer sair nessa foto. Filho feio não tem pai

De Lindbergh Farias (RJ), líder do PT no Senado, sobre o evento esvaziado que marcou os dois anos de Michel Temer no Planalto

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa