12 nov 2017

‘Ela me apoia, me dá força’, diz Túlio Gadêlha, namorado de Fátima Bernardes.

De anônimo a galã nacional em poucas horas, o pernambucano Túlio Gadêlha, 29, viu a sua vida ser revirada depois que uma foto sua ao lado da apresentadora Fátima Bernardes, 55, apareceu na internet.

O advogado, que foi candidato a deputado federal pelo PDT-PE, demonstra certo incômodo com o assédio.

“É tão pequeno tratar sobre esse assunto [a fama] quando há outras pautas sociais que são bem mais importantes”, diz ele que, no entanto, reconhece que tem recebido mensagens de carinho e muitos elogios.

Gadêlha não deixa de elogiar a namorada. “Fátima me apoia, me dá força. Está sempre ao meu lado.”

O que ele gosta mesmo é de falar sobre as causas que defende: “Ensino de qualidade, direito a meia-entrada para estudantes e problemas agrários são questões que merecem mais atenção.”

Ele já disputou duas eleições —para vereador e deputado—, mas não foi eleito em nenhuma delas.

“Não sei se me candidataria outra vez, porque a política brasileira é muito desigual”. Gadêlha deve tomar posse, na próxima semana.

De anônimo a galã nacional em poucas horas, o pernambucano Túlio Gadêlha, 29, viu a sua vida ser revirada depois que uma foto sua ao lado da apresentadora Fátima Bernardes, 55, apareceu na internet.

O advogado, que foi candidato a deputado federal pelo PDT-PE, demonstra certo incômodo com o assédio.

“É tão pequeno tratar sobre esse assunto [a fama] quando há outras pautas sociais que são bem mais importantes”, diz ele que, no entanto, reconhece que tem recebido mensagens de carinho e muitos elogios.

Gadêlha não deixa de elogiar a namorada. “Fátima me apoia, me dá força. Está sempre ao meu lado.”

O que ele gosta mesmo é de falar sobre as causas que defende: “Ensino de qualidade, direito a meia-entrada para estudantes e problemas agrários são questões que merecem mais atenção.”

Ele já disputou duas eleições —para vereador e deputado—, mas não foi eleito em nenhuma delas.

“Não sei se me candidataria outra vez, porque a política brasileira é muito desigual”. Gadêlha deve tomar posse, na próxima se

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa