12 mar 2018

Censura =Covardia.

 

Henrique Barbosa (*)

Ou será o vice-versa? A censura anda nos rondando de todos os lados. Nossos governantes estão colocando as manguinhas de fora para impedir a livre expressão.

São várias as tentativas de calar grupos de pessoas que não têm a mesma opinião. E isso não se dá apenas nos governos federal, estadual e municipal, mas em vários segmentos da própria vida de um cidadão. Há o patrulhamento ideológico movido pelos ‘intelectuais de esquerda’. Há os grupos racistas. Coma censura vem preconceito, ódio e o tão famoso “cala bocas”. Os exemplos são inúmeros: Ministério da Educação tentando fechar cursos na UnB; jornalistas achacados por pensar e agir diferentemente das empresas e do governo; calúnias nas redes sociais;’ haters’ pagos para incutir versões de fatos mentirosos.

Democracia, República, entende-se pela manifestação livre e sem amarras da palavra e de qualquer forma de expressão. É uma medida contra a arte, uma medida travestida de vitimização e por aí vai.

E censor não é apenas aquele que tem TODO o poder. Basta ter um pouco de influência em seu raio de ação para, literalmente, chantagear a quem acredita ser do interesse para prejuízo de uma causa, uma ação ou mesmo um cidadão comum. Quando isso ocorre na imprensa, como estamos vendo vários exemplos no Brasil e Estados Unidos – “se não pensam como eu, não é verdade” – e Fake News estão por toda a parte. A Internet auxilia nesse papel de disseminação, baseando-se na ignorância generalizada da população, especialmente jovens em formação. Mas, os mais grandinhos também embarcam nessa ‘caça às bruxas’ e transformam a vida do cidadão num verdadeiro inferno. Políticos sendo achacados por empresários virou a ordem do dia. Nacional, estadual e municipalmente, aquele que detém algum poder tem nas mãos os políticos e outras ‘infuencers’. A custa de pagamento? Nem sempre.

Jornalistas amigos: Manoel, Ricardo e Gilberto

Meios de comunicação também não estão isentos de fazer tal chantagem, na perseguição de jornalistas que não estão de acordo com sua linha editorial. E, convenhamos, cada meio de comunicação é dirigida por alguém que tem esta ou aquela ideologia. Isso é muito, muito sério. Se jornalistas não podem escrever por terem opiniões diversas, para onde vai a liberdade. Pois, liberdade não é só de ir e vir, mas também falar e emitir opiniões contrárias dos poderosos. A Lava Jato está aí para confirmar esta hipóteses. Quem ainda não quer calar o juiz Sérgio Moro? MUITOS! Mas já é tarde.

Portanto, cuidado com as linhas editoriais as quais o jornalista abraça. Amanhã, ela pode se voltar contra o profissional e criar todas as dificuldades do mundo para que ele caia diretamente no ostracismo profissional e pessoal. Cuidado, pois isso já está ocorrendo neste país.

Liberdade de expressão é algo tão sagrado que tivemos que esperar quase 400 anos para tê-la. Perdê-la é da noite para o dia. Estão se movimentando nos bastidores para que isso ocorra em larga escala. Enquanto isso este ou aquele jornalista fica impedido de exercer livremente sua função, a mais sagrada, que é informar, opinar, mudar o mundo.

Censura é a covardia travestida de ‘necessidade de aperfeiçoar os meios e a forma de se fazer jornalismo’. Mentira! É censura e ponto final.

Henrique Barbosa é jornalista que já sofreu censura (*)

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa