13 fev 2018

Cade ameaça cancelar benefícios da UTC se empresa não pagar multa de acordo.

Construção da usina nuclear de Angra 3; obras da Andrade Gutierrez envolveram o pagamento de propina

Cobrador na porta O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) deu um ultimato à empreiteira UTC. Há um ano, ela firmou dois acordos para colaborar com investigações de carteis revelados pela Operação Lava Jato e concordou com multa de R$ 139 milhões. Em dezembro, a empresa deixou de pagar duas parcelas que somam R$ 11 milhões. O presidente do Cade, Alexandre Barreto, deu 30 dias de prazo para a UTC quitá-las e ameaça cancelar os benefícios que ela recebeu com o acordo.

Sem perdão Conhecidos como TCCs (Termos de Compromisso de Cessação), os acordos firmados pela UTC oferecem redução de pelo menos 25% no valor das multas impostas pelo Cade. Em caso de descumprimento, a empresa perde o desconto.

Quando puder A UTC, que no ano passado entrou em processo de recuperação judicial para renegociar dívidas de R$ 3,4 bilhões com seus credores, pediu ao Cade mais prazo. “A empresa honrará seus compromissos tão logo tenha acesso aos créditos a que tem direito”, informou, em nota.

No limite Embora tenha concordado em indicar ao TCU (Tribunal de Contas da União) contratos em que teria sido beneficiada por sobrepreço, a Odebrecht resiste a pagar algo além da multa de R$ 3,8 bilhões acertada com o Ministério Público Federal.

Calculadora Tudo vai depender dos cálculos que a CGU (Controladoria Geral da União) está fazendo para avaliar os danos causados pela Odebrecht. As negociações do acordo de leniência da empreiteira avançaram nos últimos meses. Quando forem concluídas, ele terá que ser submetido ao crivo do TCU.

Ordem na fila O presidente Michel Temer acertou nesta segunda (12) que famílias venezuelanas com crianças e homens solteiros, com maior facilidade de achar trabalho, terão prioridade nas transferências a outros Estados. Só quem já está nos abrigos do governo terá ajuda para o deslocamento.

Ofensiva Incomodados com as declarações do diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, sobre o inquérito que investiga decreto de Temer, integrantes da corporação querem reavivar no Congresso a discussão de um projeto que dá autonomia funcional, administrativa e orçamentária à PF.

Escudo O projeto, que está na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, dá liberdade à polícia para administrar pessoal e recursos orçamentários. Delegados acham que a autonomia os protegeria contra tentativas de interferência do governo.

Está escrito Fixadas em lei de 2013, as normas para investigações policiais preveem duas situações em que um delegado pode ser afastado da condução de um inquérito pelos superiores: “interesse público”, ou infração regulamentar que “prejudique a eficácia da investigação”.

Nariz vermelho A UGT (União Geral dos Trabalhadores) lançou campanha nas redes sociais contra a candidatura presidencial do apresentador Luciano Huck, comparando-o ao deputado Tiririca (PR-SP). Para a central sindical, Huck é o “Tiririca dos ricos”.

Digitais Filiado ao PSD do ministro Gilberto Kassab, o presidente da UGT, Ricardo Patah, já indicou que vai embarcar com ele na caravana de Geraldo Alckmin (PSDB) na corrida ao Planalto.

Eu também Pré-candidato ao governo paulista, Luiz Felipe d’Avila (PSDB), procurou Kassab antes do Carnaval para conversar. Apesar de as chances de ser escolhido pelos tucanos serem remotas, sonha com uma composição.

Bloco na rua De olho nas prévias do partido, d’Avila começou a fazer transmissões ao vivo nas redes sociais para discutir pontos do seu programa de governo.

TIROTEIO

O presidente Michel Temer está tirando o sangue dos privilegiados. Esses que estão por aí com sangue sobrando para dar e vender.

DO DEPUTADO BETO MANSUR (PRB-SP), sobre a caracterização de Temer como vampiro no desfile da escola de samba Paraíso do Tuiuti, no Rio, domingo (11).

CONTRAPONTO

A alegria é para todos

No Carnaval de 2014, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) enfrentou um momento constrangedor ao chegar ao camarote da Prefeitura de São Paulo no Sambódromo do Anhembi, acompanhado por sua mulher, Lu Alckmin.

Assim que desembarcou da van, na entrada da área vip do lugar, recebeu cumprimentos das autoridades que o aguardavam e lhe entregaram vários preservativos.

Antes mesmo de qualquer reação da primeira-dama, Alckmin se antecipou para explicar:

— Este é o Arthur Chioro, novo ministro da Saúde.

A distribuição gratuita de camisinhas era parte de uma campanha do Ministério da Saúde para os dias de folia.

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa