14 abr 2018

A “situação delicada” das empreiteiras do petrolão.

O Antagonista

Multas bilionárias impostas pelos acordos de leniência, dívidas extremamente elevadas e o brusco encolhimento das carteiras de projetos colocaram as grandes construtoras do país, todas envolvidas na Lava Jato, numa situação delicada, que não deve mudar tão cedo, segundo O Globo.

“Os problemas são muitos. Odebrecht e Andrade Gutierrez, por exemplo, negociam com bancos a contratação de novos créditos para arcar com compromissos milionários que vencem este mês. A UTC está em atraso com o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em um dos acordos fechados no âmbito das investigações de corrupção, e a OAS está com os salários de parte de seus funcionários atrasados”, diz O Globo.

A todos os empreiteiros que não querem passar por nada disso, a recomendação é singela: não paguem propina a políticos em troca de contratos públicos.

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa