17 fev 2020

Reuniões entre Iterpe, famílias de agricultores e instituições parceiras marcam novo processo para contratações de terras pelo PNCF.

Visualização da imagem

Fotos: Divulgação

Durante a primeira quinzena de fevereiro, o Instituto de Terras e Reforma Agrária de Pernambuco (Iterpe), órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), realizou uma rodada de reuniões, em diferentes municípios, voltadas a contratação de sete imóveis rurais, através do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), com vistas a beneficiar 113 famílias de agricultores. As reuniões foram realizadas nas sedes dos Sindicatos Rurais dos Trabalhadores (STRs) dos municípios de Lagoa Grande, Jupi,  Mirandiba, Poção, e no escritório regional do IPA em Manari. Os encontros contaram com o apoio da Fetape, Acape e sindicatos.

As reuniões, comandadas pela gerente da execução das ações do PNCF em Pernambuco, Alcineide Oliveira, tiveram como propósito orientar os grupos de agricultores sobre as alterações das normativas de contratações do programa; prestar esclarecimentos sobre os documentos necessários para o encaminhamento das propostas de aquisição dos imóveis rurais e sobre a fase de medição das terras.

Participaram das reuniões as famílias rurais das associações de agricultores familiares que são candidatas aos benefícios do PNCF, entre elas, as 24 famílias de Bom Jesus de Lagoa Grande; 20 da Cooperativa de Produção Agropecuária de Lagoa Grande; Grupo Informal da Fazenda Lagoa (Jupi); 12 da Associação Comunitária Serra do Exu (Manari); 15 da Associação Aroeira (Manari) ; 5 da Associação dos Assentados e Assentadas da Fazenda Hebron (Mirandiba) e 12 da Associação São Francisco do Sítio Duas Serras (Poção).

“O Iterpe, como órgão gestor do PNCF, tem atuado efetivamente para agilizar o encaminhamento de propostas de contratações que visam a formação de novas Unidades Produtivas no estado”, afirmou o presidente do Iterpe, Altair Patriota. Em Pernambuco, de 2015 até o momento, mais de 200 famílias foram beneficiadas com a aquisição de Unidades Produtivas, através de investimentos que totalizam cerca de R$ 14 milhões em financiamentos com a compra da terra e insumos para o desenvolvimento da produção.

Compartilhe esta notícia:
Reinhard Allan Santos