12 fev 2020

Com virada, Santa Cruz mantém 100% de aproveitamento e reassume liderança.

Tricolor levou gol de Willian Anicete, mas virou com Pipico e Fabiano, e está no topo da tabela do Estadual com 12 pontos; Carcará teve interrompida sequência de duas vitórias e figura em 4º

Resumão

O Santa Cruz é de novo o líder do Campeonato Pernambucano. Diante do Salgueiro, nesta terça-feira, o time venceu por 2 a 1 e retomou a ponta da tabela que perdera momentaneamente para o Náutico. Mas não sem sufoco. No Arruda, a equipe coral saiu atrás no marcador e precisou lutar muito para virar o placar: William Anicete abriu o placar, mas Pipico – num golaço – e Fabiano marcaram e garantiram o triunfo, o quarto em quatro jogos no estadual.

Classificação

Mesmo com um jogo a menos que os principais concorrentes, o Santa é líder. Com 100% de aproveitamento, tem 12 pontos em quatro jogos. O Salgueiro é o quarto: tem sete pontos em cinco partidas.

Próximos jogos

O Santa joga nesta quinta-feira, contra o ABC, novamente no Arruda, às 20h. O duelo é válido pela quarta rodada da Copa do Nordeste. Já o Salgueiro tem um tempo longo para trabalhar: só volta a campo em 26/02, quando recebe o Sport em jogo pelo Pernambucano.

Público e renda

Público: 3.554 Renda: R$ 18.725,00

Primeiro tempo

O jogo nem bem começou e já saiu o primeiro gol: Toty cometeu falha clamorosa, William Anicete aproveitou, driblou Maycon Cleiton e abriu o placar para o Salgueiro ainda no primeiro minuto. Passado o susto, o Santa Cruz se assentou: cresceu, controlou a partida  e começou a criar chances. Mayco Félix assustou duas vezes, mas o gol de empate só saiu dos pés de Pipico. Aos 20 minutos, o centroavante marcou em grande estilo, com uma bomba indefensável no ângulo.

Segundo tempo

A segunda etapa começou como uma reprodução do fim da anterior: o Santa melhor, mais incisivo e sem sofrer grandes riscos atrás – apesar da postura mais exposta. Foi assim que que, aos oito minutos, o Tricolor virou numa infelicidade do lateral-direito Adenilson. Ao tentar cortar cruzamento rasteiro de Fabiano, ele mandou para o próprio gol. Aos 13, Danny Morais foi expulso. Com um a mais, o Salgueiro cresceu, pressionou e assustou. Se não fosse Maycon Cleiton, o placar final poderia ter sido diferente do 2 a 1 a favor do Santa.

Dois pênaltis não marcados

Para Paulo César de Oliveira, árbitro errou ao não marcar dois pênaltis

Para Paulo César de Oliveira, árbitro errou ao não marcar dois pênaltis. (Clique e assista)

Dois lances no final do jogo marcaram negativamente a arbitragem de Paulo Belence Alves dos Prazeres Filho. Tanto Didira, do Santa Cruz, quanto Renato, do Salgueiro, foram derrubados nas áreas dos adversários e nada foi marcado. Pênaltis não assinalados, um para cada lado, que podiam ter mudado a história do jogo.

Fez bonito

Aos 19 do 1ºT, Pipico marca golaço pelo Santa Cruz

Aos 19 do 1ºT, Pipico marca golaço pelo Santa Cruz. (Clique e assista)

Artilheiro do Pernambucano, com quatro gols, o atacante Pipico tirou o Santa Cruz novamente do buraco. Foi dele o gol do empate. Um belo gol: corte seco em Daniel Nazaré e chute firme, na gaveta, de fora da área.

Vaiado

No 1º minuto de jogo, Toty falha e Willian Anicete abre o placar para o Salgueiro

No 1º minuto de jogo, Toty falha e Willian Anicete abre o placar para o Salgueiro. (Clique e assista)

Um dos poucos reservas acionados no jogo, Toty não viveu uma noite feliz. Logo no primeiro minuto, falhou numa tentativa de recuo para o goleiro Maycon Cleiton e entregou o gol para o Salgueiro. A partir dali, foi vaiado pela torcida – insatisfação que só esfriou no segundo tempo.

Polivalente

O zagueiro Denílson provou que pode ajudar o Santa Cruz em diferentes funções. Pela segunda partida consecutiva, foi acionado como volante, uma linha à frente da que costuma jogar. No segundo tempo, foi substituído por Bileu.

Defesaça

Aos 41 do 2ºT, Maycon Cleiton faz grande defesa após chute de Adenilson

Aos 41 do 2ºT, Maycon Cleiton faz grande defesa após chute de Adenilson. (Clique e assista)

No final do segundo tempo, o goleiro Maycon Cleiton fez um milagre: Tarcísio deu chute forte, cruzado, rasteiro, à queima-roupa. A bola fatalmente entraria, não fosse a intervenção precisa do goleiro tricolor – que ainda evitou o rebote, para o qual Muller Fernandes estava posicionado.

Compartilhe esta notícia:
Reinhard Allan Santos