28 jan 2020

Bolsonaro diz que vai tirar de cargo número 2 da Casa Civil que viajou à Índia em voo da FAB.

Antes de ir para Índia, Santini foi a Davos, na Suíça, para participar do Fórum Econômico Mundial. Na sequência, ele seguiu para Nova Déli, onde se integrou à comitiva presidencial na Índia.

O presidente ficou contrariado com o custo da viagem e perguntou por que Santini não viajou em avião comercial, como fizeram os ministros Bento Albuquerque (Minas e Energia), e Tereza Cristina (Agricultura).

De acordo com a FAB, por decreto, podem utilizar as aeronaves oficiais ministros de Estado e “demais ocupantes de cargo público com prerrogativas de ministro”.

Entre os motivos para solicitar o voo da FAB estão viagens de trabalho, como a realizada por Santini. Neste caso, segundo a Casa Civil, Santini estava como ministro interino, em razão das férias do titular Onyx. Assim, a solicitação seguiu a legislação em vigor.

“O que ele fez não é ilegal, mas é completamente imoral. Ministros antigos foram de avião comercial, classe econômica”, afirmou o presidente.

Na noite desta segunda-feira, a Casa Civil divulgou a seguinte nota sobre o caso:

“Em relação à utilização de aeronave da FAB pelo secretário-executivo (e ministro interino) José Vicente Santini: A solicitação seguiu os critérios definidos na legislação vigente.”

Compartilhe esta notícia:
Reinhard Allan Santos