23 jul 2019

Bolsonaro acusa governador da Bahia de não autorizar PM a fazer sua segurança.

”Pior ainda, passou a responsabilidade de tal negativa ao seu Comandante Geral”, postou o presidente no Twitter

Caso expõe mais uma vez o 'racha' de Bolsonaro com os governadores do Nordeste / Foto: ABr

Caso expõe mais uma vez o ‘racha’ de Bolsonaro com os governadores do Nordeste. Foto: ABr

JC Online com agências

O presidente Jair Bolsonaro acusou nesta terça-feira (23) o governador da Bahia, Rui Costa, de não autorizar que a Polícia Militar do Estado faça sua segurança durante inauguração do aeroporto de Vitória da Conquista.

“Estou de partida para Vitória da Conquista para inauguração de aeroporto. Lamentável a decisão do governador da Bahia que não autorizou a presença da Polícia Militar para a nossa segurança. Pior ainda, passou a responsabilidade de tal negativa ao seu Comandante Geral”, postou o presidente no Twitter.

Jair M. Bolsonaro

@jairbolsonaro

– Estou de partida para Vitória da Conquista para inauguração de aeroporto. Lamentável a decisão do governador da Bahia que não autorizou a presença da Polícia Militar para a nossa segurança. Pior ainda, passou a responsabilidade de tal negativa ao seu Comandante Geral.

14.5K

Twitter Ads info and privacy

5,693 people are talking about this

Mais cedo, Rui Costa afirmou em entrevista à Rádio Metrópole que quem é impopular e tem “medo de ir às ruas, fique em seu gabinete”. “Eu não posso colocar Polícia Militar para espancar o povo baiano que quer conhecer o novo aeroporto. Então, quem é impopular e tem medo de ir para às ruas, fica em seu gabinete. Se o evento é exclusivamente federal, as forças federais cuidem da segurança do presidente. Eu não posso colocar PM para entrar em conflito com as pessoas que querem ver o aeroporto”, disse o petista na manhã desta terça (23).

” Aí é fácil, né? Você quer se trancar na sala e quer que o governador coloque a polícia para bater nas pessoas. O povo de Conquista tem direito de conhecer o aeroporto. Eu governo nas ruas, tenho mais de 500 visitas ao interior. Estou caminhando para 600 visitas. Não governo pelo Twitter, eu não governo pelas redes sociais. E eu não gosto de retórica e bravata. Eu gosto de estar ao lado do povo, nas ruas, caminhando”, acrescentou Costa.

Nessa segunda-feira (22), o governador do PT afirmou que durante a organização da cerimônia, na semana passada, convidou o presidente e sua comitiva como um “aceno de boas maneiras”. Na versão de Costa, o governo federal estabeleceu que, de 300 pessoas convidadas para o evento, o Estado teria direito a indicar 70. Depois, decidiu que seriam 600 convidados – e que o petista teria direito de chamar 100. Rui criticou através das redes sociais, a inauguração e apontou o evento como uma ‘convenção político-partidária’.

‘Paraíba’

Na sexta-feira passada, dia 19, em áudio captado pela TV Brasil, Bolsonaro faz referência à região e diz que o governo federal não devia dar “nada” para o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). Há trechos inaudíveis da conversa em que não é possível entender o contexto. O presidente negou que no rápido diálogo com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, tenha classificado os governadores do Nordeste pelo termo “paraíba” – forma pejorativa usada principalmente no Rio para se referir aos imigrantes da região.

O clima com os políticos locais, porém, ficou estremecido. Bolsonaro acusou os governadores de “manipular” eleitores nordestinos. Costa afirmou nesta segunda-feira, 22, que não vai participar da cerimônia de inauguração do aeroporto. Em um vídeo nas redes sociais, ele alegou que o evento se transformou em uma “convenção político-partidária”.

Compartilhe esta notícia:
Reinhard Allan Santos