9 maio 2019

Empresários presos por esquema de corrupção sonegavam mais de R$ 60 milhões.

Por: Diario de Pernambuco

Foto: Reprodução/PCPE. (Foto: Reprodução/PCPE.)

Foto: Reprodução/PCPE.

Estão sendo cumpridos na manhã desta quinta-feira (9), 18 mandados de busca e apreensão domiciliar e nove mandados de prisão, expedidos pelo juíz da Vara Crimes Contra a Administração Pública e Contra a Ordem Tributária. A Operação denominada “Mar Aberto” acontece em parceria entre a Secretaria de Defesa Social (SDS) e a Secretaria da Fazenda (Sefaz). O objetivo é combater crimes como lavagem de dinheiro, organização criminosa e crime tributário.

As investigações apontaram 65 milhões em sonegação de tributos cometida por um grupo de 11 empresas náuticas. A movimentação do grupo foi de R$ 300 milhões em cinco anos, de acordo com a polícia. A empresa envolvida na Operação é a Ecomariner, cujo o dono, o empresário José Pinteiro das Costa Neto foi preso nesta manhã. Oito empresários foram presos na Região Metropolitana do Recife e um no estado de São Paulo.

Os mandados de prisão estão sendo cumpridos nos bairros de Boa Viagem, Zona Sul do Recife, em Candeias, Jaboatão dos Guararapes. Um mandado de busca foi cumprido na Paraíba e outro de busca e apreensão em São Paulo.

A polícia está apreendendo objetos pertencentes aos suspeitos, como joias, embarcações e obras de arte, que estão sendo levados à sede da Draco. Já foram apreendidos 28 carros de luxo, quatro embarcações e 15 imóveis. “Espero que com o transcorrer das investigações e dos processos a gente consiga reverter os estornos para os cofres do estado para que seja investido em segurança, saúde em benefício à população”, comentou o delegado Jean Rockfeller.

Foto: Reprodução/PCPE. (Foto: Reprodução/PCPE.)

Foto: Reprodução/PCPE.

Estão atuando em conjunto na execução cem policiais civis de Pernambuco, equipes da Polícia Civil dos estados da Paraíba e São Paulo, além de auditores da Sefaz. As investigações foram assessoradas pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco (Dintel) e o Laboratório de Lavagem de Dinheiro da Polícia Civil de Pernambuco.

A investigação começou no mês de dezembro de 2017. Segundo a Polícia Civil, uma organização criminosa atua na prática desses crimes. Esta é a 37ª  Operação de Repressão Qualificada do ano e está vinculada ao Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado, sob a presidência da Delegada Priscila Von Sohsten.

Compartilhe esta notícia:
Reinhard Allan Santos