7 dez 2018

Começa nesta sexta a 1ª audiência do julgamento do assassinato do médico em Aldeia.

Será audiência de instrução, onde serão interrogadas testemunhas.

Por: Diário de Pernambuco

A esposa da vítima e o filho do casal estão presos desde o dia 5 de julho por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Foto: Marlon Diego/Esp.DP

A esposa da vítima e o filho do casal estão presos desde o dia 5 de julho por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Foto: Marlon Diego/Esp.DP

O julgamento da farmacêutica Jussara Rodrigues, de 54 anos e do engenheiro Danilo Paes, 23 anos, suspeitos de matar o médico cardiologista Denirson Paes da Silva, 54, deve acontecer nesta sexta-feira (7), no Fórum de Camaragibe, Região Metropolitana do Recife. Na audiência de instrução, serão ouvidas as testemunhas do crime. O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), confirmou a sessão, sem dar detalhes do processo.

A esposa da vítima e o filho do casal, acusados de homicídio, estão presos desde o dia 5 de julho por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Ele está recolhido no Centro de Observação Criminológica e Triagem Professor Everaldo Luna (Cotel), em Abreu e Lima. Jussara está detida na Colônia Penal Feminina Bom Pastor, no bairro da Iputinga.

A esposa de Denirson informou, em depoimento à polícia que cometeu o crime sozinha, sem a ajuda do filho mais velho, após descobrir uma traição. Segundo a defesa, Jussara teria sofrido agressão por parte do médico.

No dia 4 de julho foram encontrados os primeiros restos mortais de Denirson no poço de um condomínio de luxo em Aldeia. No dia 20 de junho que Jussara havia registrado Boletim de Ocorrência informando que o marido havia viajado para o exterior e não havia voltado.

Desde então, a Polícia Civil começou a investigar o caso através de um mandado de busca e apreensão na residência da vítima. No dia 5 de julho foram cumpridos os mandados de prisão temporária. Em agosto, o Instituto Médico Legal (IML) constatou que o médico foi morto por esganadura e as investigações apontaram como motivação para o crime uma relação extraconjugal mantida por Denirson.

Rhass

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa