12 set 2018

Haddad conteve choro e comemorou unidade do PT antes de substituir Lula.

Levanta-te e anda Fernando Haddad (PT) foi orientado a conter qualquer emoção, mas ainda assim teve que engolir o choro ao anunciar que substituiria Lula na corrida pelo Planalto. Ele vai manter a presença virtual do padrinho na campanha. Quer todos os aliados do ex-presidente no PT ao seu lado. Dias antes de assumir o posto, Haddad dizia que, finalmente, sentia que a sigla estava unida. “Estamos como um exército, alinhados, batendo a espada no escudo e esperando a hora de entrar em campo”, afirmou.

Fernando Haddad (PT) é oficializado candidato à Presidência e Manuela D’Ávila à Vice, depois da Justiça barrar a candidatura do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT) nesta terça (11); candidatos se solidarizaram com eleitores em frente da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde Lula cumpre pena Heuler Andrey – 11.set.2018

Falar para dentro Aliados de Haddad dizem que o ex-prefeito de São Paulo está disposto a citar o nome de Lula a cada segundo que puder. A direção do PT vai dedicar os próximos dias a adaptar a agenda do novo candidato para otimizar sua exposição ao eleitorado lulista.

Sou você amanhã O PT vai tentar marcar uma diferença entre a indicação de Haddad e a da ex-presidente Dilma, que foi afastada do governo sob forte desaprovação. A ideia é dizer ao eleitor que Haddad não é o sucessor de Lula, mas seu substituto, e que todo e qualquer movimento dele tem aval do ex-presidente.

Gentileza… A atual coordenação da campanha presidencial deve colocar seus cargos à disposição de Haddad para que ele faça as mudanças que achar necessárias. O tesoureiro do PT, Emidio de Souza, deve ser incorporado ao grupo.

… gera gentileza A expectativa, no entanto, é que o agora candidato do PT mantenha os atuais coordenadores: o ex-presidente da Petrobrás José Sergio Gabrielli, os ex-ministros Ricardo Berzoini, Luiz Dulci e Gilberto Carvalho, e o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto.

Multiplicação dos peixes A cúpula do partido comemorou o resultado alcançado por Haddad no Datafolha. Avalia que, agora, com a presença dele em debates, sabatinas e entrevistas, a transferência dos votostende a aumentar.

Queda de braço Prevendo a batalha pelo voto da esquerda, o candidato do PDT a presidente, Ciro Gomes, conseguiu o apoio de quatro das cinco maiores centrais sindicais: Força, UGT, CSB e Nova Central. As entidades fecharam documento intitulado “Trabalhadores com Ciro” e farão ato em São Paulo para o pedetista.

Que fase! Dirigentes tucanos admitem que a oficialização de Haddad e a prisão do ex-governador Beto Richa (PSDB-PR) formaram um senhor pacote de más notícias para Geraldo Alckmin, o presidenciável do PSDB.

Contra todos Esse grupo defende atitude incisiva contra Jair Bolsonaro (PSL) e contra Haddad na TV, com ênfase no voto útil. O tucanato quer levar à propaganda a tese de que votar no PSL é abraçar o risco de devolver o poder ao PT.

O bom filho A cúpula da coligação defende que Alckmin faça uma imersão em São Paulo, estado que governou por quatro vezes. Acham que ele precisa ter ao menos 35% dos votos. Nos próximos dias, ele irá a Campinas, Jundiaí e Bauru.

Ao trabalho Prefeitos, deputados e vereadores das microrregiões do estado foram orientados a disseminar as realizações do governo tucano. A equipe de comunicação de Alckmin repassa os dados. Há meta de publicações nas redes.

TIROTEIO

Beto Richa passa agora por duas experiências novas: a prisão e a obrigação de ter de se levantar cedo

Do senador Roberto Requião (MDB-PR), sobre a prisão do tucano, ex-governador do Paraná e candidato ao Senado, nesta terça-feira (11)

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa