9 ago 2018

Grupo Abril encerra títulos e demite mais de 200.

Empresa de comunicação comandada pela família Civita fala em “garantir sua saúde operacional”. Com a decisão de enxugar o portfólio, 11 títulos serão descontinuados. Conforme apurado, mais de 200 funcionários, incluindo jornalistas, foram dispensados pelo Grupo Abril
Arquitetura & Construção, Bebê.com.br, Boa Forma, Casa Claudia, Casa.com.br, Casa Cor, Cosmopolitan, Elle, Minha Casa, Mundo Estranho e Veja Rio. A partir deste mês de agosto, essas 11 marcas deixam de ser mantidas pelo Grupo Abril. Pautada para manter a “saúde operacional” da empresa de mídia, a decisão em extinguir títulos impressos e digitais culmina em passaralho – como demissões em massa na imprensa são conhecidas. Com redações extintas e outros setores reduzidos, mais de 200 funcionários estão na lista de dispensas.

Em comunicado oficial divulgado no início da tarde desta segunda-feira, 6, a direção do conglomerado, que por décadas ostentou o título de maior editora de revistas do Brasil, afirma que as mudanças ocorrem devido ao “impacto sentido” em meio às “profundas transformações tecnológicas”. Ao enfatizar que a estratégia é garantir a sua própria “saúde operacional”, o Grupo Abril sinaliza que os cortes foram necessários por causa de duas situações: a realidade econômica do país e o atual mercado de comunicação. “[Estão] substancialmente menores”, destaca a empresa.

Demissões
O Grupo Abril resolveu não divulgar o número de demitidos em meio à reformulação. Apuração do Portal Comunique-se, que ouviu fontes internas da companhia, indica que mais de 200 foram demitidos – ou serão desligados até o fim desta semana. “Aos profissionais que atuaram nos títulos que estão sendo descontinuados, nosso agradecimento pela dedicação e pelo profissionalismo”, pontua a empresa, conforme registrado na nota. Entre os setores administrativos e gráficos, as dispensas atingem – sobretudo – as redações dos títulos que serão extintos.

Somadas, as marcas a serem descontinuadas mantêm, 77 postos de trabalhos focados na parte jornalística. É o que apontam os dados disponibilizados pelo serviço de mailing do Workr, solução de comunicação corporativa desenvolvida pelo Comunique-se. Com divisões impressa e digital, a Veja Rio conta com 12 comunicadores em seu expediente. Elle é composta por 11, mesmo número apresentado por Cosmopolitan. Fora as publicações que serão extintas, algumas das outras 15 redações do grupo sofrerão com redução do quadro de colaboradores. É o que avisa dois executivos ouvidos pela reportagem.

Marcas que seguem
As demissões e os fechamentos fazem com que o Grupo Abril foque a continuação de seus negócios em 15 títulos. Alguns deles, contudo, já operam há anos apenas na versão online, caso da Capricho. Além do título infanto-juvenil, seguem ativos Claudia, Exame, Guia do Estudante, MdeMulher, Placar, Quatro Rodas, Saúde, Superinteressante, Veja, Veja São Paulo (Vejinha), Viagem& Turismo, VIP, Você RH e Você S/A. Em meio ao processo de cortes, a empresa valorizou o alcance dessas marcas. “Somam audiência qualificada de 125 milhões de visitantes únicos por mês e 5,2 milhões de circulação nas versões impressa e digital por mês”.

Novo comando
A reformulação encarada pelo Grupo Abril ocorre três semanas após um novo presidente assumir o cargo. Giancarlo Civita deixou a função para Marcos Haaland, que é sócio da consultoria Alvarez & Marsal. Haaland, aliás, é o quarto a responder pela presidência da empresa em menos de um ano. Em agosto de 2017, o principal executivo da companhia era o publicitário Walter Longo. Em novembro, Arnaldo Figueiredo Tibyriça, de carreira na área juridíca, foi empossado; ele seguiu até o começo de 2018. Giancarlo Civita, que segue no comando acionário ao lado de seus dois irmãos, sentou na cadeira da presidência de forma interina ao decorrer dos últimos meses.

Confira a nota oficial divulgada pelo Grupo Abril:
Abril anuncia reformulação

O Grupo Abril comunica que, como parte do seu processo de reestruturação, está reformulando o portfólio de marcas da editora com o objetivo de garantir sua saúde operacional em um ambiente de profundas transformações tecnológicas, cujo impacto vem sendo sentido por todo o setor de mídia.

O processo tornou-se obrigatório dentro das circunstâncias impostas por uma economia e um mercado substancialmente menores do que os que trouxeram a Abril até aqui.

Com isso, a empresa passará a concentrar seus recursos humanos e técnicos em suas marcas líderes: VEJA, VEJA SÃO PAULO, EXAME, QUATRO RODAS, CLAUDIA, SAÚDE, SUPERINTERESSANTE, VIAGEM E TURISMO, VOCÊ S/A, VOCÊ RH, GUIA DO ESTUDANTE, CAPRICHO, MDEMULHER, VIP e PLACAR. Marcas que somam audiência qualificada de 125 milhões de visitantes únicos por mês e 5,2 milhões de circulação nas versões impressa e digital por mês, além de centenas de eventos.

Aos profissionais que atuaram nos títulos que estão sendo descontinuados, nosso agradecimento pela dedicação e pelo profissionalismo.

Em consonância com sua trajetória e relevância na imprensa brasileira, a Abril reafirma o seu compromisso de manter vivo o jornalismo de qualidade. Uma imprensa forte, livre e idônea em seus princípios é essencial para o desenvolvimento do Brasil e o único antídoto contra desinformação e fake news.

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa