4 mar 2015

Exploração ilegal de granito do leito do Rio Una é motivo de debate na ALEPE.

untitledjh

Atento as questões ambientais o  vice-presidente da Comissão de Meio Ambiente da ALEPE, deputado estadual José  Humberto (PTB), repercutiu matéria de um jornal local na reunião do Colegiado realizada no dia de hoje (04), sobre os casos de exploração ilegal de minerais do leito do Rio Una na altura da cidade de Catende.

Segundo o deputado a retirada ilegal  de rochas do leito do rio, além de configurar um crime de apropriação de um bem pertencente a União pode ajudar a contribuir com a inundação das cidades que  ficam abaixo do local explorado, tendo em vista que as rochas servem para frear o fluxo da água quando há o aumento do volume de água no rio.

“A extração de rochas graníticas do  leito do Rio Una pode desencadear problemas ambientais graves e grande prejuízo às cidades que têm o seu perímetro urbano cortado pelo rio, pois na medida em que essas rochas são extraídas elas irão possibilitar uma velocidade maior das águas e a jusante dessa água pode provocar a destruição de mata ciliar e inundações de cidades, proporcionando assim um dano incalculável ao meio ambiente e as  pessoas, além do mais, isso é uma usurpação de um bem da União, de maneira que evitar que continue essa extração de rocha é também uma preocupação da Comissão de Meio Ambiente”, disse José Humberto.

Por sugestão do deputado a Comissão se comprometeu em marcar uma data para fazer uma visita na área para analisar de perto a situação do Rio. “Nós propusemos aqui uma visita em loco, acompanhada da imprensa para que possamos repercutir de forma mais efetiva e mais contundente essa questão que está atingindo o leito do Rio Una”, finalizou o parlamentar.

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa