3 mar 2015

Hospital da Mulher tem 70% das obras concluídas.

ARB_0009_02032015_Foto_AndreaRegoBarros
Foto: Andrea Rego Barros/PCR

 A PCR vai definir um cronograma de execução e entrega do Hospital, a partir da votação da OGU, prevista ainda para esta semana

 

O prefeito Geraldo Julio, acompanhado da secretária-executiva nacional de Atenção à Saúde, Ana Paula Sóter, vistoriou, na tarde desta segunda-feira (2), as obras do Hospital da Mulher do Recife, que está com cerca de 70% da construção finalizada. A inspeção é resultado do encontro do gestor recifense com o ministro da Saúde, Arthur Chioro. Os dois se reuniram no último dia 21 de fevereiro, em Brasília, e acertaram a liberação de recursos para a sequência das obras do equipamento.

A partir da votação do Orçamento Geral da União (OGU), prevista ainda para esta semana, a PCR montará um cronograma de execução para entrega do primeiro hospital de grande porte construído pela Prefeitura. Além do prefeito e da secretária-executiva nacional de Atenção à Saúde, acompanharam a visita o senador Humberto Costa e os secretários municipais Jailson Correia (Saúde) e João Guilherme Ferraz (Projetos Especiais).

O Hospital da Mulher do Recife, que está sendo erguido às margens da BR-101, é fruto de um investimento de R$ 56,8 milhões, dos quais R$ 48,8 milhões são oriundos de convênio com o Governo Federal. Para garantir continuidade no andamento das obras, a Prefeitura do Recife já desembolsou R$ 35 milhões dos cofres municipais.O Hospital vai reunir em um único lugar atendimento de Urgência e Emergência 24 Horas, Clínica Ambulatorial, Diagnóstico, Apoio Terapêutico e assistência à mulher vítima de violência.

Nesse sentido, a unidade será equipada com 100 leitos e terá capacidade de realizar 400 partos e 250 cirurgias por mês. No total, serão duas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), sendo uma com dez leitos para bebês e a segunda com dez leitos para mulheres. Além disso, contará com mais duas Unidades de Cuidados Intermediários (UCI), com 27 leitos, e 16 consultórios de atendimento especializado, com ginecologia, cardiologia, mastologia, endocrinologia, hematologia, psiquiatria, entre outros serviços. Por fim, o Hospital vai dispor da Casa da Gestante, Bebê e Puérpera com 20 leitos, espaço reservado para prestar assistência  às mulheres em situação de violência e base descentralizada do SAMU 192.

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa