27 fev 2015

Prefeitura desenvolve ações para proteger escolas.

Coordenadores de escolas municipais, estaduais e privadas discutiram com a Prefeitura, nesta quinta (26/02), a nova etapa do programa Escola Protegida

Representantes de escolas municipais, estaduais e privadas de Jaboatão dos Guararapes estiveram reunidos, na manhã desta quinta-feira (26/02), com técnicos do governos municipal, discutindo as ações do programa Escola Protegida. Por meio deste programa, é desenvolvida uma ação integrada das secretarias executivas de Promoção à Saúde, Educação, Segurança Cidadã e Controle Urbano e Ambiental, visando diminuir a violência e coibir a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos. A reunião foi Escola Municipal Cândida Maciel, em Cajueiro.

Na reunião, ficou decidido que as unidades de ensino localizadas em aéreas de vulnerabilidade e com alto índice de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) terão as ações do Escola Protegida reforçadas. Uma das preocupações seráregulamentar os estabelecimentos que estejam no entorno das escolas, pois os mesmos não poderão vender bebidas alcoólicas e derivados de fumo, e interditar os que estão irregulares ou clandestinos. “A Secretaria de Educação nos enviou uma lista com 47 escolas, onde iremos atuar. A ideia é atender até julho. Vamos iniciar a ação na semana que vem. No primeiro momento, iremos notificar e, depois, interditar”, informou o secretário Executivo de Controle Urbano e Ambiental, Adelmo Aragão.

Para a gestora da Escola Municipal Nova Divineia, de Cajueiro Seco, Francisca Henrique, a ação é bem-vinda. “O Escola Protegida vem como um suporte a mais na luta para reduzir a criminalidade. É uma ação positiva. Tem algumas barracas que vendem bebidas perto das escolas”, afirmou. O secretário executivo de Educação, Francisco Amorim, aproveitou para pedir o apoio da população. “Na quarta-fera tivemos uma escola que estava sendo arrombada e um cidadão ligou para a Polícia, que chegou a tempo de intervir a ação. O que precisamos é de uma maior participação da sociedade, que todos colaborem. As crianças permanecem nas escolas, muitas vezes, por mais de dez anos. Elas são de todos e todos precisam cuidar. É necessária esta integração”, pontuou.

Na próxima terça-feira (03/03), as cinco primeiras escolas que serão contempladas com as ações irão se reunir para os ajustes finais, às 9h, na Escola Cândida Maciel.

Compartilhe esta notícia:
Aurino Rosendo