25 fev 2015

Planalto quer que Petrobras estime corrupção em R$ 3,9 bi.

Painel – Vera Magalhães

Conta de chegada

O Palácio do Planalto quer que a Petrobras apresente às autoridades reguladoras do mercado financeiro seu balanço auditado de 2014 com perdas com corrupção estimadas entre R$ 2,1 bilhões e R$ 3,9 bilhões —valores citados pelo Ministério Público Federal nas investigações da Operação Lava Jato. O governo tenta acelerar negociações com a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) e a SEC americana para evitar sanções que abalem ainda mais a credibilidade da empresa.

Correção

O governo vai propor que o valor seja aceito pelas autoridades, com o compromisso de que a Petrobras atualize o número caso a investigação aponte perda maior. Aldemir Bendine disse que apresentará o balanço auditado no fim de março.

Lupa

Rodrigo Janot determinou que sua equipe revise e faça ajustes jurídicos em todos os pedidos de abertura de inquérito e denúncias contra políticos que serão enviadas ao STF. Por esse motivo, a lista de envolvidos deve ficar para segunda ou terça-feira.

Sem leniência

O PPS encomendou parecer jurídico para apresentar ação por crime de responsabilidade contra o ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) pelas reuniões com advogados de envolvidos na Lava Jato.

Mais um

A tese que o partido defende é que, se for provado que foi o ministro quem chamou advogados para influenciar na estratégia de defesa, haveria tentativa de obstrução do Poder Judiciário. A sigla já acionou a Comissão de Ética da Presidência.

Bê-a-bá 1

Geraldo Alckmin reuniu todos os líderes de partidos aliados na Assembleia nesta terça-feira para instruí-los a defender o governo na crise hídrica.

Bê-a-bá 2

O tucano levou apresentações em PowerPoint e distribuiu cartilhas. Sua maior preocupação foi negar que a decisão de não adotar o rodízio tenha sido política, e não técnica.

Prioridade

Miguel Rossetto (Secretaria-Geral), Katia Abreu (Agricultura) e José Eduardo Cardozo se reuniram nesta terça à noite com expoentes do setor agropecuário para discutir acordo que interrompa o bloqueio de estradas por caminhoneiros.

Limonada

No jantar com o PMDB, Joaquim Levy (Fazenda) alertou que há novos sinais de queda de receitas da União neste início de 2015, o que dificulta o fechamento das contas. Disse o ajuste fiscal pode atrair investimentos.

apode2502painel

Pastor

O senador Romero Jucá começou sua fala dizendo que era a “ovelha negra” da sala, por ter votado em Aécio Neves. Ouviu elogio de Aloizio Mercadante (Casa Civil), que o chamou de “o melhor relator do Congresso”.

Curtida

Mercadante fez ainda um aceno ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ): afirmou se tratar de um adversário “implacável quando luta”, mas que “sabe ser generoso”.

Cilada

Nas reuniões que terá com o presidente da Câmara e Miguel Rossetto, nesta quinta, a Força Sindical vai ameaçar com paralisações como a dos caminhoneiros em todo o país caso o pacote fiscal seja aprovado.
TIROTEIO

Vamos aprimorar as propostas e minimizar seus efeitos nocivos para sociedade, sem que com isso digam que estamos conspirando.

DE GEDDEL VIEIRA LIMA, ex-ministro e ex-deputado pela Bahia, sobre os termos do acordo para o PMDB apoiar o ajuste fiscal no Congresso.
CONTRAPONTO

Mais médicos

O senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) voltava na última segunda-feira (23) de uma viagem que fez a Feira de Santana (BA) para uma cavalgada quando, no voo para Brasília, um homem procurou um médico para atender um colega com uma crise de pressão alta.
Caiado, que é cirurgião ortopedista, se apresentou. Depois de o oposicionista atender o paciente, um deputado que estava no mesmo voo brincou:
–Se fosse a Dilma que precisasse de atendimento, ela estava ferrada!
O líder do DEM só riu e negou com a cabeça.

Compartilhe

Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa