19 ago 2014

Sinal de diálogo entre Rússia e Ucrânia estimula bolsas da Europa.

 As principais bolsas europeias voltaram a fechar em alta nesta terça-feira, estendendo os ganhos com a redução da percepção de risco sobre as disputas entre Ucrânia e Rússia no leste do continente. Na próxima semana, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, terá encontro com o presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, o primeiro entre os dois líderes em dois meses. A reunião ocorrerá no dia 26 de agosto em Minsk, capital da Belarus, e contará também com a participação de autoridades da União Europeia.

O índice FTSE 100, referência da Bolsa de Londres, avançou 0,56%, aos 6.779,31 pontos, sem ter sido perturbado pela leitura abaixo do previsto para os dados de inflação do Reino Unido, o que dá espaço para que o Banco da Inglaterra possa iniciar, se considerar apropriado, o ciclo de ajuste da taxa de juros mais cedo do que se prevê. Em Frankfurt, o índice DAX – o mais sensível dentre os principais índices europeus a flutuações de humor decorrentes dos desdobramentos da crise na Ucrânia – liderou os ganhos do dia, em alta de 0,96%, aos 9.334,28 pontos. Em Paris, o índice CAC 40 fechou o dia em alta de 0,56%, aos 4.254,45 pontos.

Dados que indicaram que a inflação permanece amena nos Estados Unidos e no Reino Unido elevaram nesta terça-feira a expectativa de que os principais bancos centrais do mundo manterão as taxas de juros de referência baixas ainda por um longo tempo. Na agenda de indicadores, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) nos Estados Unidos avançou 0,1% em julho ante o mês anterior, em linha com a expectativa para o período, e a inflação ao consumidor no Reino Unido desacelerou a 1,6% ao ano em julho.

Outros dados americanos divulgados nesta terça-feira, referentes ao número de obras residenciais iniciadas subiu 15,7% em julho, bem acima da expectativa de crescimento de 7,6% para o período. O avanço de Londres foi assegurado também pela percepção de que as tensões no leste europeu se amenizaram, contribuindo para o aumento da exposição dos investidores a ativos de risco, como ações.

Na contramão do índice, as ações da BHP Billiton fecharam em queda de 4,93%, após a mineradora ter confirmado planos de desmembramento de uma variedade de ativos em uma nova companhia a ser listada na Austrália. Os acionistas da empresa em Londres decidiram se desfazer dos papéis, na medida em que a posição poderia resultar em participação em empresa estrangeira, o que não é permitido em alguns estatutos de investimento.

Em Moscou o índice Micex fechou em alta de 0,9%, aos 1.437,60 pontos, com volume financeiro reduzido. Em Madri, o índice Ibex 35 fechou o dia com ganho de 0,32%, aos 10.386,50 pontos. Em Milão, o índice FTSE MIB fechou próximo à estabilidade, em leve alta de 0,02%, aos 19.644,37 pontos.

 Dow Jones Newwires/Valor

 


Compartilhe esta notícia:
Henrique Barbosa